Publicidade

Estado de Minas

Tigre Diego deixa zoológico para morar em santuário de São Paulo

O macho da espécie de tigre de bengala chegou ao zoo de Brasília em dezembro de 2006, após uma apreensão do Ibama


postado em 12/06/2015 13:38 / atualizado em 12/06/2015 14:22

Após morar por nove anos no Zoológico de Brasília, o tigre de bengala Diego foi transferido, na quarta-feira (10/6) para o santuário Rancho dos Gnomos, localizado na cidade de Cotia (SP). A retirada do felino do zôo ocorreu após decisão em conjunto das duas instituições e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Segundo funcionários do santuário, a transferência de Paru, como é chamado agora, ocorreu tranquilamente e o animal passa bem.

Imagem mostra Diego, ou Paru, já no novo recinto(foto: Rancho dos Gnomos/Reprodução)
Imagem mostra Diego, ou Paru, já no novo recinto (foto: Rancho dos Gnomos/Reprodução)


O macho da espécie de tigre de bengala chegou ao zoo de Brasília em dezembro de 2006, após uma apreensão do Ibama. Na ação administrativa, impetrada pelo órgão, foram resgatados um casal de tigres e cinco leões do picadeiro que pertencia ao Transcontinental Circo. À época, o Ibama havia constatado evidências de maus-tratos. Desde então, os animais passaram a viver no zoológico. Foi o próprio Ibama, segundo o Rancho dos Gnomos, que fez a solicitação de transferência, depois que ele perdeu a companheira, em 2012, e entrou em um quadro de depressão.

Leia mais notícias em Cidades

Chegada do tigre ao Rancho dos Gnomos(foto: Rancho dos Gnomos/Reprodução)
Chegada do tigre ao Rancho dos Gnomos (foto: Rancho dos Gnomos/Reprodução)


Diego, ou Paru, foi levado em uma jaula apropriada para o tipo de viagem, sob a escolta do órgão de fiscalização e de instituições ambientalistas, e chegou em boas condições ao Rancho dos Gnomos. No Facebook, os funcionários postaram fotos dele no novo recinto, já explorando o ambiente. Segundo os responsáveis pela instituição em São Paulo, o novo nome é uma homenagem a um atleta chamado Paulo Victor Pinheiro.

Animal foi transportado do zoológico na quarta-feira(foto: Zoológico de Brasília/Divulgação)
Animal foi transportado do zoológico na quarta-feira (foto: Zoológico de Brasília/Divulgação)


Maus-tratos
Além dos animais vindos do Circo Transcontinental, o Zoológico de Brasília já abrigou diversas espécies em situação de maus-tratos, entre eles, os animais do Le Cirque: o elefante Chocolate, o rinoceronte Thor, a hipopótamo Iuly e a lhama Carijó. Também recebeu animais do Zoológico de Niterói e de criadouros particulares.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade