Publicidade

Estado de Minas

Professores levam criatividade e inovação para sala de aula

Em dias de comunicação instantânea e estudantes conectados, ganham respeito e destaque aqueles professores que investem na criatividade e na inovação. São eles que formam alunos questionadores e com perfis críticos


postado em 21/06/2015 08:00 / atualizado em 21/06/2015 08:35


Uma sala de aula com quadro e giz não atrai mais alunos nem professores. É necessário inovar e criar, sobretudo, em um mundo dinâmico e superconectado. É preciso apostar na relação entre docente e estudante, na troca de experiências e no desenvolvimento de perfis críticos e questionadores. A paixão do profissional também desperta o encantamento do jovem. Esse cenário, no entanto, bate na porta de uma formação rígida e pautada pelo sistema educacional unilateral. Para modificar e adaptar o quadro ao mundo complexo, é preciso investir na qualificação continuada dos mestres e, principalmente, na criatividade.

 

(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)


“Nós, educadores, não temos como assegurar o que a educação deve privilegiar em termos de conhecimento por causa da realidade vivida hoje. Os alunos precisam ter ferramentas para pensar e resolver problemas novos e imprevisíveis”, explica a professora emérita do Instituto de Psicologia da UnB Eunice Soriano de Alencar. Com base nesse desafio que se impõe sobre o sistema educacional, a educadora desenvolveu estudos que comprovam o valor do inusitado.

Tanto aluno como professor precisam desenvolver o potencial criativo. No caso dos estudantes, significa ter ideias e respostas originais, viver de uma forma mais autêntica e questionar. O educador precisa trazer esse universo para a sala de aula e ajudar o aluno a desenvolver o potencial. “É desenvolver um conjunto de habilidades que, usualmente, o colégio não desenvolve na extensão desejada. Os dados empíricos mostram que, em todos os níveis de ensino, predomina o modelo tradicional e unidirecional”, afirma Eunice. Hoje, em uma instituição presa ao convencional, o jovem que se destaca pela produção de novos conceitos e faz perguntas não é aceito.

Uma pesquisa feita pela especialista com quase 100 estudantes de nível superior revelou as características do professor facilitador da criatividade. Em primeiro lugar, os entrevistados destacaram o docente que estimula o aluno a questionar e a refletir diversificando as práticas pedagógicas. Aquele profissional que demonstra interesse pelo aprendizado e que se monstra disponível para elucidar as dúvidas foi o segundo ponto em evidência. Por fim, a qualidade da relação entre professor e aluno é percebida como aspecto facilitador. “O educador tem muito poder. Ele não só pode ajudar o aluno a se desenvolver como também pode minar a autoconfiança desse jovem”, comenta a pesquisadora. Confira três histórias de professores brasilienses que ganharam a admiração dos estudantes por fazerem o diferente.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade