Publicidade

Estado de Minas

Uber está nas mãos de Rollemberg e será apresentado nos próximos dias

O Secretário de Trabalho se reuniu com o governador na manhã desta quarta-feira para discutir o projeto, enviado a Rollemberg na tarde de ontem


postado em 11/11/2015 19:59 / atualizado em 11/11/2015 19:59

Da esquerda para a direita: Thiago Jarjour, o representante da Asteps, Flávia do Sebrae, e Lucas Costa da Concentro(foto: Divulgação/Thainá Lima/Concentro)
Da esquerda para a direita: Thiago Jarjour, o representante da Asteps, Flávia do Sebrae, e Lucas Costa da Concentro (foto: Divulgação/Thainá Lima/Concentro)

 

O Secretário de Trabalho, Thiago Jarjour, confirmou que o projeto que regulamenta o aplicativo Uber está nas mãos do governador Rodrigo Rollemberg e deve ser apresentado pelo chefe do Executivo nos próximos dias. “Tudo está encaminhado. Rollemberg está fazendo as análises e as considerações dele”, afirmou Jarjour. O secretário ainda acrescentou que o trabalho agradou o governador.

Jarjour se reuniu com Rodrigo Rollemberg na manhã desta quarta-feira (11/11) para discutir o projeto, enviado ao GDF na tarde de terça-feira (10/11). Ele esteve presente no painel Escolas Empreendedoras da 7ª Feira de Negócios e Inovação na Universidade de Brasília. “Estava a caminho da abertura do evento hoje quando o governador ligou para convocar reunião sobre o projeto”, contou Jarjour.

Leia mais notícias em Cidades

O GDF está focado na fomentação do empreendedorismo, a regulamentação dos food trucks e o incentivo às start ups. Além disso, tem se preocupado com a realização de grandes eventos na capital, segundo Jarjour. Na sexta-feira, será realizada reunião com os organizadores do evento de tecnologia Campus Party. A edição de 2017 deve ser realizada em Brasília. Tradicionalmente, a sede da Campus Party é São Paulo. “Queremos transformar Brasília em uma cidade mais empreedendora e é notório que a cidade tem tudo pra ser um hub”, disse.

O secretário do Trabalho reconhece que o governo não vive um bom momento: “O Estado não tem braço técnico para fazer tudo que tem que fazer”. Jarjour também comentou a crise nos concursos públicos: “A grande indústria dos concursos públicos vai pro ralo porque o governo não tem dinheiro."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade