Publicidade

Estado de Minas

Assassino confesso de Louise é classificado como "inteligente e reservado"

Justamente por Vinícius sempre ter demonstrado um bom comportamento em sala de aula, a atitude do jovem surpreendeu amigos e professores


postado em 12/03/2016 07:03 / atualizado em 30/10/2017 16:54

(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press)
O assassino confesso de Louise Ribeiro era conhecido por ser um dos alunos mais dedicados do 6º semestre de biologia da Universidade de Brasília (UnB). O bom desempenho levou-o a ser um dos monitores do Laboratório de Anatomia, local do crime. Professores e colegas de classe o classificavam como inteligente e reservado. Os pais relataram à polícia que nunca imaginavam que Vinícius Neres seria capaz de cometer um ato com tamanha brutalidade. Ele, inclusive, teria ido até a instituição para colar cartazes sobre o desaparecimento da ex-namorada.

Em seu perfil no Facebook, as postagens estão públicas até 27 de dezembro do ano passado. Em sua maioria, envolvem compartilhamento de cartuns, fotografias ou vídeos de páginas relacionadas a humor, bem como da faculdade. Em grande parte das publicações, o acusado cita Louise. Ela respondia às marcações, demonstrando a relação amigável que mantinham até o relacionamento chegar ao fim. Em uma das únicas fotos públicas dele, Vinícius aparece olhando para o horizonte.

 

Justamente por Vinícius sempre ter demonstrado um bom comportamento em sala de aula, a atitude do jovem surpreendeu o professor Antônio Sebben. “Ele era um aluno brilhante e gostava do que fazia”, resumiu o mestre. Uma aluna do curso de biologia que não quis se identificar diz estar em choque com a situação. “Era uma pessoa (aparentemente) boa. Dava para ver que tinha problemas, mas não para esse lado violento. Sempre foi muito na dele, reservado”, descreveu. Outra colega contou que ele mudava constantemente de comportamento.

O estudante relatou à polícia que há pelo menos três anos pensava em suicídio, o que o fazia se afastar dos amigos. A mãe do suspeito afirmou ao portal de notícias G1 que agressor e vítima chegaram a namorar, mas que o rapaz estava em outro relacionamento. “O meu filho nunca faria isso. Ele estava em casa à noite. Ele não é assassino”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade