Publicidade

Estado de Minas

Tradição de 270 anos, Procissão do Fogaréu reúne multidão em Goiás Velho

Cerca de 20 mil pessoas seguiram 40 farricocos, personagens vestidos de túnicas coloridas e capuzes pontiagudos, representando soldados romanos, à procura de Jesus Cristo, nas ruas de pedra do município histórico


postado em 24/03/2016 09:12 / atualizado em 24/03/2016 09:22

Á meia-noite, teve início da Procissão do Fogaréu. As luzes da cidade se apagaram e deram lugar às tochas, que iluminaram um espetáculo ao ar livre(foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Á meia-noite, teve início da Procissão do Fogaréu. As luzes da cidade se apagaram e deram lugar às tochas, que iluminaram um espetáculo ao ar livre (foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
 
A Cidade de Goiás revivei na madrugada desta quinta-feira (24) a mais antiga tradição do estado. Na virada da quarta-feira de trevas (23) para quinta santa, o toque da fanfarra deixou todos em alerta na localidade, mais conhecida como Goiás Velho e distante 320km de Brasília. Á meia-noite, teve início da Procissão do Fogaréu. As luzes da cidade se apagaram e deram lugar às tochas, que iluminaram um espetáculo ao ar livre, que reuniu cerca de 20 mil pessoas, nas ruas de pedra do município de 24 mil habitantes.

Leia mais notícias em Cidades.

A tradição de 270 anos foi encenada por 40 farricocos, personagens vestidos de túnicas coloridas e capuzes pontiagudos, representando soldados romanos. Eles partiram da Igreja da Nossa Senhora da Boa Morte, na praça principal da cidade considerada Patrimônio da Humanidade pela Patrimônio da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Acompanhados pela multidão, eles seguiram à procura de Jesus Cristo, em um percurso de 2km.
 
Eles partiram da Igreja da Nossa Senhora da Boa Morte, na praça principal da cidade considerada Patrimônio da Humanidade(foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Eles partiram da Igreja da Nossa Senhora da Boa Morte, na praça principal da cidade considerada Patrimônio da Humanidade (foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
 
Com os pés descalços nas ruas de pedra, os farricocos seguiram para a escadaria da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, que simboliza o local onde estaria sendo realizada a última ceia, mas Jesus não estava mais lá. Os fiéis então marcharam em direção à Igreja de São Francisco de Paula, que simboliza o Jardim das Oliveiras descrito na Bíblia. No local, ao som de um clarim, foi decretada a prisão de Jesus, representada por um estandarte de linho pintado pelo artista plástico Veiga Valle.

A Procissão do Fogaréu é encenada desde 1745 na Cidade de Goiás, a primeira capital do estado de Goiás. O evento histórico na cidade, de arquitetura colonial portuguesa, atrai turistas de vários lugares do Brasil. A tradição, que nasceu na Espanha e em Portugal, foi levada a Goiás pelo padre espanhol João Perestelo Espíndola. O ritual representava penitência e condenação pública de pecadores, e depois se transformou em uma festa que lembra a prisão de Cristo.
A Procissão do Fogaréu é encenada desde 1745 na Cidade de Goiás, a primeira capital do estado de Goiás(foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
A Procissão do Fogaréu é encenada desde 1745 na Cidade de Goiás, a primeira capital do estado de Goiás (foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade