Publicidade

Estado de Minas

GDF volta à Brazlândia para combater o Aedes aegypti

A região administrativa é a que mais concentra casos de dengue no Distrito Federal, com 1,5 mil notificações


postado em 07/04/2016 16:48

O Governo do Distrito Federal fez uma nova ação de combate ao Aedes aegypti em Brazlândia. A região administrativa é a que mais concentra casos de dengue no Distrito Federal, com 1,5 mil notificações. Além da dengue, o mosquito também transmite o zika vírus e chicungunha. A força-tarefa reuniu 120 militares do Exército Brasileiro, 90 do Corpo de Bombeiros, 134 agentes da Secretaria de Saúde e 12 servidores do Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

Leia mais notícias em Cidades.

O SLU também levou seis caminhões e a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), para recolher lixo e entulho em vias públicas. Entre as ações para eliminar possíveis focos de proliferação de larvas do inseto constam ainda a colocação de areia em ocos de árvores e vistoria em coberturas de paradas de ônibus, em borracharias, funilarias, floriculturas, casas de material de construção e ferros-velhos.

Segundo Aílton Domicio, chefe da Assessoria de Mobilização Institucional e Social para a Prevenção de Endemias da Secretaria de Saúde, as áreas escolhidas foram aquelas onde se registrou a maioria dos diagnósticos positivos de dengue. Segundo o assessor, a partir de quarta-feira (13/4), o GDF para ações semelhantes em outras cidades do DF. “Vamos definir as prioridades com base nos informativos epidemiológicos”, explicou.

Além da operação, a Secretaria de Saúde mantém as tendas de unidade básica de atenção à dengue montadas no estacionamento do Hospital Regional de Brazlândia. Ao todo, 7.634 pessoas já foram atendidas nos espaços. Dispostas também em São Sebastião, 6.594 pacientes já recorreram às unidades, que ficam em frente à unidade de pronto-atendimento (UPA) da região.

Com informações da Agência Brasília.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade