Publicidade

Correio Braziliense

Desativado em 2013, Torre Palace é cenário de invasões e criminalidade

Fundado em 1973, o Torre Palace Hotel foi o primeiro prédio do Setor Hoteleiro Norte. Atualmente o hotel é apontado como um dos principais pontos de consumo de drogas no DF e local de acomodação de moradores de rua


postado em 01/06/2016 12:20 / atualizado em 05/06/2016 08:59

O Torre Palace Hotel tem 140 apartamentos distribuídos em 14 andares, construído na Quadra 4 do Setor Hoteleiro Norte, a menos de 4km do Congresso Nacional, área nobre de Brasília, e se transformou em moradia para andarilhos e usuários de drogas depois de ter sido desativado pelos donos no início de 2013. Palco de diversas tentativas mal-sucedidas de reintegração de posse, o hotel já foi condenado pela Defesa Civil, que apontou falhas graves na estrutura da construção.

Ver galeria . 19 Fotos Carlos Vieira/CB/D.A. Press
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A. Press )


De acordo com o Movimento de Resistência Popular (MRP), cerca de 150 famílias, com 60 crianças, ocupavam do 3º ao 9º andar do prédio. Havia também usuários de drogas que se instalaram depois de retirados do Clube Primavera, em Taguatinga.

Em março deste ano, a juíza Mara Silda Nunes de Almeida, da 8ª Vara de Fazenda Pública, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), deferiu, em caráter liminar, ação protocolada pela Procuradoria-Geral do Distrito Federal (PGDF), por ordem do governador Rodrigo Rollemberg (PSB), contra a Torre Incorporações e Empreendimento Imobiliário Ltda., dona do Torre Palace.

Leia mais notícias em Cidades

A magistrada deu um prazo de 20 dias para que a empresa fizesse a remoção das pessoas que estavam no local, bem como o cercamento do perímetro da edificação, a retirada das telhas quebradas ou soltas e a correção do telhado para evitar infiltrações, entre outras providências necessárias em caráter de urgência.

Também em março deste ano o corpo de um homem foi encontrado pela Polícia Militar na nas dependências do Torre Palace Hotel. A vítima, de 20 anos, teria entrado junto com a namorada para usar drogas. Outra confusão envolvendo os ocupantes do Torre Palace aconteceu no início do mês de maio, quando integrantes do MRP atearam fogo em pneus e pedaços de madeira no terraço do edifício, para protestar contra a implosão do prédio.

Briga na Justiça
O Torre Palace foi fundado pelo empresário libanês Jibran El-Hadj e inaugurado em 1973, funcionou por 40 anos em um dos pontos mais valorizados da cidade. Com a morte do patriarca, em 2000, o imóvel passou à gestão dos sete herdeiros, que teriam entrado em desacordo sobre a gestão do hotel.

O prédio pode valer entre 40 e 45 milhões de reais. No início de 2014, a empresa Brookfield Incorporações iniciou negociações com os herdeiros de Jibran para comprar o espaço e erguer um novo prédio, mas a venda teria sido interrompida sem sucesso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade