Publicidade

Correio Braziliense

Governador Rodrigo Rollemberg visita obras do Trevo de Triagem Norte

Os trabalhos estavam paralisados desde 2014, no governo passado, por falta de verba, e foram retomados há um mês


postado em 12/07/2016 12:16 / atualizado em 12/07/2016 12:20

Retomadas a pouco mais de um mês, as obras na saída norte do Distrito Federal, devem beneficiar mais de 100 mil pessoas. Na manhã desta terça-feira (12/7), o governador Rodrigo Rollemberg, vistoriou o local acompanhado pelo secretário de Mobilidade, Marcos Dantas, e pelo diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), Henrique Luduvice.

Leia mais notícias em Cidades

De acordo com Rollemberg, as obras na região estavam paralisadas desde 2014, no governo passado, por falta de verba. As intervenções no Trevo de Triagem Norte e na Ligação Torto-Colorado reduzirão os constantes engarrafamentos na região, além de evitar problemas antigos como a necessidade de recorrer à faixa reversa em horários de pico, de segunda a sexta-feira, e melhorar a qualidade de vida de quem mora na ala norte do DF.

“As obras estão caminhando bem. É algo que vai melhorar muito a mobilidade urbana de quem mora em Sobradinho 1 e 2, Planaltina e nos condomínios. Uma obra extremamente importante entre o Trevo de Triagem Norte e a terceira pista que liga o Torto ao Colorado. Serão 26 intervenções, entre viadutos e pontes, que vão melhorar muito a vida, sobretudo de quem vive na região”, afirmou o governador.

A obra recebeu financiamento de R$ 146 milhões do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além de R$ 51 milhões, de contrapartida do governo, e R$ 10 milhões da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap).

O diretor do DER, disse que serão 24 meses para conclusão das obras no trevo de triagem norte e 17 para a ligação entre o Torto e o Colorado. “Essa é uma obra de máxima importância para a região norte da nossa capital. Quando a obra estiver concluída teremos três faixas em cada sentido, o que eliminará também a necessidade da hoje existente, faixa reversa”, explicou Luduvice.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade