Publicidade

Estado de Minas

Praças do DF sofrem com descaso, acúmulo de lixo e falta de manutenção

Apesar de bons exemplos, como a Praça dos Cristais, no Setor Militar Urbano (SMU), muito desse descuido está no Plano Piloto


postado em 25/10/2016 06:00 / atualizado em 25/10/2016 00:51

Praça dos Cristais: o espaço que fica no Setor Militar Urbano (SMU) chama a atenção pela beleza. O ambiente é muito bem cuidado, inclusive serve de palco de ensaios fotográficos. A manutenção é feita pelo Exercito e tem até coleta seletiva(foto: Helio Montferre/Esp.CB/D.A Press)
Praça dos Cristais: o espaço que fica no Setor Militar Urbano (SMU) chama a atenção pela beleza. O ambiente é muito bem cuidado, inclusive serve de palco de ensaios fotográficos. A manutenção é feita pelo Exercito e tem até coleta seletiva (foto: Helio Montferre/Esp.CB/D.A Press)
 

 

Brasília é famosa pelos espaços abertos e pelas belas paisagens urbanas. Parte dessa beleza deveria ser também representada pelas praças, mas muitos desses espaços públicos estão praticamente abandonados. Apesar de bons exemplos, como a Praça dos Cristais, no Setor Militar Urbano (SMU), muito desse descuido está no Plano Piloto. São os casos de pelo menos três desses locais destinados ao lazer do brasiliense, que chamam a atenção pela falta de manutenção e de cuidado.

 

Praça dos Próceres: o espaço fica entre o Memorial do Índio e a Praça do Buriti e presta homenagem a grandes nomes da história mundial. Porém, está em situação precária, com placas de acrílico quebradas, jardim mal preservado e bueiros sem tampas (foto: Helio Montferre/Esp.CB/D.A Press)
Praça dos Próceres: o espaço fica entre o Memorial do Índio e a Praça do Buriti e presta homenagem a grandes nomes da história mundial. Porém, está em situação precária, com placas de acrílico quebradas, jardim mal preservado e bueiros sem tampas (foto: Helio Montferre/Esp.CB/D.A Press)
 

 

A Praça dos Próceres, que fica entre o Memorial dos Povos Indígenas e a Praça do Buriti, abriga um memorial em homenagem a personalidades históricas, como Che Guevara, Luís Carlos Prestes e Yasser Arafat. Apesar disso, o abandono é visível. Há várias placas de identificação quebradas. As peças de acrílico são provisórias, pois a exposição original — instalada em 1996 — é composta por bustos de bronze retiradas para restauração. Mas até hoje a licitação para repará-los não ocorreu.

 

Praça do Buriti: apesar de o espaço não ter muitos elementos, o jardim está muito bem conservado. Mas deixa a desejar quanto a manutenção das duas fontes. Além do lodo, há lixo e insetos na água. Bancos de concreto estão quebrados(foto: Helio Montferre/Esp.CB/D.A Press)
Praça do Buriti: apesar de o espaço não ter muitos elementos, o jardim está muito bem conservado. Mas deixa a desejar quanto a manutenção das duas fontes. Além do lodo, há lixo e insetos na água. Bancos de concreto estão quebrados (foto: Helio Montferre/Esp.CB/D.A Press)
 

 

Ao lado dali, as fontes da Praça do Buriti também entram na lista de espaços com manutenção precária. Além de não funcionarem, estão com a água poluída. Em uma delas, há vários tipos de resíduos, como restos de jornal, papéis de bala, além de lodo acumulado no fundo. Apesar das condições, é possível ver filhotes de peixe. Na outra, o mau cheiro predomina e atrai moscas. O jardim, porém, está em bom estado, com flores coloridas.

 

Praça 21 de Abril: em homenagem a Tiradentes, o busto que representava o herói brasileiro está irreconhecível na 707 Sul. Não há placa de identificação. Por causa da destruição das latas de lixo, há sujeira por todo o local(foto: Helio Montferre/Esp.CB/D.A Press)
Praça 21 de Abril: em homenagem a Tiradentes, o busto que representava o herói brasileiro está irreconhecível na 707 Sul. Não há placa de identificação. Por causa da destruição das latas de lixo, há sujeira por todo o local (foto: Helio Montferre/Esp.CB/D.A Press)
 

 

Outro espaço em estado ruim de manutenção é a Praça 21 de Abril, na 707 Sul. O ambiente é um grande vazio, com estruturas malcuidadas. Apesar de alguns bancos de concreto estarem conservados, o coreto vermelho está abandonado. O lixo também incomoda os frequentadores. Há garrafas de vidro, restos de papéis, embalagens de doces e sacolas plásticas espalhadas pelo chão. A Praça 21 de Abril tinha um busto de Tiradentes, mas, além de pichado, falta a placa de identificação. “O governo deveria vir e revitalizar o espaço. Aquele monumento está há tanto tempo assim que nem sabemos o que era. Essa praça não oferece nenhuma estrutura para a comunidade. Não tem conforto”, reclama a vendedora Maria Aparecida.

 

 

 

As praças Próceres e do Buriti são de responsabilidade da Novacap, mas quem responde pela 21 de Abril é a Administração Regional do Plano Piloto. Os dois órgãos encaminharão equipes, nesta semana, para fazerem vistorias. A administração informou que um estudo está em andamento para “verificar a situação de cada um dos espaços públicos e providenciar as ações de melhorias”. A Novacap conduz “três licitações para a manutenção de áreas de lazer e compra de equipamentos para praças e parques do DF”. Quanto à situação das fontes, a empresa realiza uma limpeza semestral. Não há, porém, uma previsão para a próxima.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade