Publicidade

Estado de Minas

Após cerca de 15 horas, alunos desocupam escola pública na Asa Sul

Os jovens estavam no local desde 17h da sexta-feira


postado em 19/11/2016 16:00 / atualizado em 19/11/2016 16:40

 

(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)

Após cerca de 15 horas de ocupação, os alunos que estavam no Centro Educacional Setor Leste, localizado na 611 Sul, deixaram a escola. Eles ocupavam o local desde sexta-feira (18/11), às 17h, e protestavam contra a PEC 55 — antiga PEC 241, que prevê a reforma do Ensino Médio — e pela melhora da educação pública.

Do lado de fora da escola, algumas dezenas de pessoas apoiavam o movimento, a maioria pais e alunos de outros centros de ensino da cidade. Ainda pela manhã, algumas pessoas deixaram o interior da escola, deixando apenas estudantes menores de idade no local. Dentro da escola, a polícia estimou que haviam 35 alunos ocupando um espaço restrito da escola — pátio, corredor e banheiro da direção. Durante a manhã, alguns dos ocupantes, maiores de idade, cerca de 30 pessoas, deixaram o local.

No local, estavam quatro viaturas da Polícia Militar, que faziam o isolamento do local, além de um ônibus da corporação. Na comercial da 413 Sul, pelo menos 10 veículos da tropa especializada da polícia aguardavam em prontidão. O Tenente Sandey, da Polícia Militar, afirmou que, além dos policiais no local, a PM contava com 60 homens da tropa especial de prontidão, caso houvesse necessidade.

Os advogados do movimento questionavam a liminar, pois ela não tinha caráter de excepcionalidade, logo não poderia ser cumprida nem no sábado, nem no domingo, somente às 6h de segunda-feira. A promotora do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, Cátia Gisele Martins, chegou a ir até ao local para a leitura da liminar, mas deixou as instalações sem falar com a imprensa. Após a leitura, os alunos se reuniram para tomar uma nova decisão e optaram pela saída pacífica do local. Ao deixar a escola, era possível identificar um coro: “A luta não vai morrer; a luta não vai acabar; usamos a democracia”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade