Publicidade

Correio Braziliense

Rollemberg assina decreto que libera revitalização da orla do Lago

O Orla Livre, que conta com a participação popular por meio de enquete e consulta pública disponibilizadas na internet, mapeará as necessidades e os obstáculos da iniciativa


postado em 09/12/2016 06:00 / atualizado em 08/12/2016 22:50

Derrubada na orla do espelho d'água: concurso público para urbanismo(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press - 28/8/15)
Derrubada na orla do espelho d'água: concurso público para urbanismo (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press - 28/8/15)

 

A pressão exercida pelo Ministério Público do DF e Territórios, pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal e pela população a respeito das margens do Lago Paranoá surtiu efeito. O governador Rodrigo Rollemberg assinou nessa quinta-feira (8/12) decreto que libera a execução de um plano de revitalização de área de 38km nos lagos Sul e Norte. O Orla Livre, que conta com a participação popular por meio de enquete e consulta pública disponibilizadas na internet, mapeará as necessidades e os obstáculos da iniciativa. O passo seguinte prevê concurso público para eleger um projeto de arquitetura e urbanismo.
O GDF não estipula orçamento ou prazo de conclusão para as obras. O chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio, salienta que o plano depende de investimento privado. “Precisaremos disso, principalmente, para a criação e a manutenção das estruturas. O governo não pretende gastar mais com obras no local”, explica. O início das intervenções deve ocorrer somente no fim de 2017. O secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, estima que o concurso seja lançado em março ou abril. “Depois, a empresa vencedora terá mais três ou quatro meses para trabalhar nisso”, detalhou.

Enquanto o Orla Livre não se concretiza, há serviços em andamento às margens do espelho d’água. O principal deles trata da construção de uma trilha com 6,5km de extensão, do Parque Península Sul ao Parque Asa Delta, na QL 12. Somada às ações paralelas de melhoria da iluminação pública e de replantio de árvores. Essa etapa está orçada em R$ 3 milhões.
 
A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade