Publicidade

Correio Braziliense

Religiosos promovem ato contra a intolerância na Rodoviária

Neste sábado (21/1) é comemorado o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Em apoio à causa, GDF inaugurou, nesta sexta-feira (20/1), comitê da diversidade religiosa


postado em 20/01/2017 17:50 / atualizado em 20/01/2017 18:28

Cerca de 50 pessoas participaram do ato na rodoviária(foto: Divulgação/Tatiane Duarte)
Cerca de 50 pessoas participaram do ato na rodoviária (foto: Divulgação/Tatiane Duarte)
 
Órgãos de direitos humanos, lideranças religiosas e organismos inter-religiosos realizaram, na tarde desta sexta-feira (20/1), ato na Rodoviária do Plano Piloto para conscientização do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, comemorado neste sábado, 21 de janeiro. À frente da mobilização estavam frequentadores de terreiros do Distrito Federal. No evento, foram transmitidos vídeos de pessoas que sofreram preconceito religioso. Pessoas que passavam pelo local também deram depoimento. Cerca de 50 pessoas participaram. 
 

Adna Santos, conhecida como Mãe Bahiana, é presidente do terreiro de candomblé Ilê Axé Oyá Bagan, que foi incendiado criminosamente em novembro de 2015. À época, a religiosa sofreu na pele a intolerância presente no Distrito Federal, por isso, comemora eventos como esse. “Brasília é a capital da diversidade cultural e também religiosa. Não podemos mais permitir violência contra nenhuma religião. O respeito cabe em qualquer lugar, ele chega para todos e é preciso respeitar a diversidade”, alertou.  
 
(foto: Divulgação/Tatiane Duarte)
(foto: Divulgação/Tatiane Duarte)
 

A programação da semana de combate à intolerância religiosa começou em 19 de janeiro. O último evento será neste sábado (21/1), no Tempo Shin Budista de Brasília. No local, será realizada uma celebração inter-religiosa, com algumas palavras, cantos e poemas. “Não é uma celebração no sentido formal, nada disso. É um encontro para marcar o repúdio aos atos de intolerância religiosa. Um encontro das pessoas que apóiam o tema com palavras de apoio e de luta”, explicou Tatiane Duarte, antropóloga e integrante da Rede Ecumênica da Juventude (Reju). 

O Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa foi instituído nacionalmente como resposta a um caso emblemático de intolerância religiosa, ocorrido na Bahia, no ano 2000, que levou ao falecimento da Mãe Gilda, sacerdotisa de Matriz Afrobrasileira, depois de ter seu templo e casa invadidos e depredados.

Serviço

Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa - Celebração inter-religiosa 
Data: Sábado, 21 de janeiro 
Horário: 17h 
Local: Templo Shin Budista de Brasília, EQS 315/316

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade