Publicidade

Correio Braziliense

Polícia prende suspeito de roubar e matar jovem de 24 anos na Asa Sul

O crime aconteceu no dia 19 de fevereiro deste ano. Iago Guedes Gomes, 24 anos, reagiu a um assalto, sofreu um golpe de faca no abdômen e não resistiu


postado em 10/05/2017 09:40 / atualizado em 10/05/2017 16:05

Iago aguardava um ônibus quando um casal se aproximou e anunciou o assalto(foto: Reprodução/Facebook)
Iago aguardava um ônibus quando um casal se aproximou e anunciou o assalto (foto: Reprodução/Facebook)
 
Graças a uma denúncia anônima, a Polícia Civil prendeu Rangel dos Santos Alves, 33 anos, acusado de esfaquear e matar o jovem Iago Guedes Gomes, 24, em um ponto de ônibus na Asa Sul. Os investigadores descobriram o endereço do assassino por meio do número 197 — uma pessoa ligou e informou onde se encontrava o criminoso. A polícia chegou à residência de Rangel, que fugiu. Foi, então, pedida a prisão temporária do acusado, que foi pego vagando por um rua de Planaltina em 24 de abril. 
 
 
A arma do crime não foi encontrada, mas Rangel foi reconhecido pelas duas pessoas que também estavam no ponto de ônibus no dia do crime, em 18 de fevereiro deste ano. Iago Guedes Gomes aguardava um ônibus, por volta das 23h20, na 112 Sul, quando um casal se aproximou e anunciou o assalto. Iago reagiu  e partiu para cima do criminoso. Ele foi atingido por uma facada no abdome e não resistiu. O casal de ladrões ainda levou a mochila de uma mulher.

De acordo com o delegado adjunto da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul), Ataliba Neto, o criminoso é "autor contumaz" de roubos, além de usuário de drogas e dependente químico. Para o delegado, é importante também encontrar a comparsa. 

Rangel é acusado, ainda, por dois roubos cometidos neste ano: no Núcleo Bandeirante e em  Santa Maria. "Precisamos saber agora se algumas pessoas o reconhecem por outros crimes", afirmou o delegado. 

Rangel dos Santos Alves responderá por crime de latrocínio e poderá pegar de 20 a 30 anos de prisão. No fim deste mês, será pedida a  prisão preventiva e ele seguirá para o Centro de Detenção Provisória (CDP), onde aguardará o  julgamento. 

Quadro Denúncias

Neste ano, a polícia já recebeu 80 mil denúncias anônimas feitas por meio do telefone 197. Em 2016, foram 255 mil, das quais 15 mil se transformaram em investigações e 13 mil em processos criminais, de acordo com levantamento feito pela Polícia Civil do Distrito Federal. No ano passado, cerca de 3 três  toneladas de drogas foram apreendidas por meio de uma dessas denúncias.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade