Publicidade

Correio Braziliense

Em fase de testes, biometria facial identifica uso irregular do Passe Livre

Na primeira semana de testes, a biometria facial mostrou que de 15% a 20% fazem uso irregular do benefício


postado em 18/05/2017 15:42 / atualizado em 18/05/2017 15:42

Caso seja verificada incompatibilidade de perfil, os titulares serão notificados(foto: Reprodução/Secretaria de Mobilidade do DF)
Caso seja verificada incompatibilidade de perfil, os titulares serão notificados (foto: Reprodução/Secretaria de Mobilidade do DF)
 
Em sua primeira semana de experiência, a biometria facial apontou irregularidades no uso do Passe Livre Estudantil. O projeto entrou em fase de teste na linha 110 da empresa Piracicabana, que faz o trajeto da Rodoviária do Plano Piloto até a Universidade de Brasília (UnB). O sistema mostrou que de 15% a 20% dos usuários fazem uso irregular do benefício.
 

As câmeras foram fixadas acima dos validadores onde os usuários passam o cartão. Elas conseguem captar a imagem da pessoa e enviar para um banco de dados. Caso seja verificada incompatibilidade de perfil, os titulares serão notificados. Uma equipe técnica avaliará se realmente houve fraude. Em seguida, pode haver o bloqueio do Passe Livre.
 
Com informações da Agência Brasíla

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade