Publicidade

Correio Braziliense

Sete meses depois da tempestade, Casa Azul Felipe Augusto é reaberta

Temporal ocorreu em outubro do ano passado. Espaço atende 1,9 mil crianças, jovens e adolescentes no contraturno escolar


postado em 01/06/2017 21:42 / atualizado em 02/06/2017 07:41

Presidente da Casa Azul, Daise Lourenço Moisés, e a primeira-dama, Márcia Rollemberg(foto: Tony Winston/Agência Brasília.)
Presidente da Casa Azul, Daise Lourenço Moisés, e a primeira-dama, Márcia Rollemberg (foto: Tony Winston/Agência Brasília.)
 
Ensolarada e marcada pela superação. Esta quinta-feira (1º/6), nada lembrou o temporal que destruiu a Casa Azul Felipe Augusto, em Samambaia, em outubro do ano passado. O início do mês marcou a reinauguração do espaço, que atende 1,9 mil crianças, jovens e adolescentes no contraturno escolar.
 
 
A reforma foi possível graças à ajuda de parceiros, como as secretarias de Justiça e Cidadania e do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, além das forças de segurança pública. Todas ganharam placas em homenagem e agradecimento pelo apoio na reconstrução do espaço. 
 
O Governo do Distrito Federal também atuou na região logo após o ocorrido. A Casa Azul tem termo de colaboração com o GDF e, de acordo com a pasta de Desenvolvimento Social, recebe verba para atender 1.450 crianças e adolescentes no serviço de convivência e fortalecimento de vínculos.
 
A presidente da entidade, Daise Lourenço Moisés, relembrou a noite da tempestade. “Não foram apenas as instalações que tinham sido destruídas, foram sonhos de anos, não só os meus, mas os de milhares de adolescentes e jovens que eram atendidos no espaço”, disse. A Casa Azul Felipe Augusto existe desde 1989 e atende cerca de 1,7 mil famílias com capacitação e apoio psicossocial.
 

Temporal

Na madrugada de 20 de outubro de 2016, os ventos que destelharam cerca de mil casas em Samambaia chegaram à velocidade de 60km/h e intensidade 7 na escala Beaufort de classificação, que varia de 52 a 61 km/h nessa categoria.

Com informações da Agência Brasília

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade