Publicidade

Correio Braziliense

Prata da Casa: banda Escolta une peso do heavy metal com discurso do rap

Criado pelos amigos Agga Guimarães e Sebastian Vargas, o grupo prepara, para o segundo semestre, seu segundo disco


postado em 02/06/2017 12:16


 
Cansados da rotina cansativa do call center onde trabalhavam, Agga Guimarães e Sebastian Vargas decidiram que uma boa maneira de aliviar o estresse seria por meio da música. Dessa decisão, surgiu a banda Escolta, criada para unir o peso do heavy metal com o discurso imponente do rap. 

O nome da banda, lembra o vocalista Agga, surgiu durante uma viagem de ônibus. “Voltando de busão do trabalho, eu vi uma escolta policial passando. Aí, bateu”, conta. A palavra pareceu apropriada para os objetivos do grupo, explica, por passar uma ideia de união e proteção, "como uma matilha". 

O baterista Pedro Uchida, que conhecia Sebastian da Escola de Música, foi o primeiro convidado para se juntar à dupla. “Ele falou que seria algo tipo Pantera e cheguei para o ensaio com uma bateria bem pesada. Mas quando entrou o Agga, com aquelas correntes de ouro no pescoço, a primeira coisa que pensei foi: ‘Meu Deus, esse cara toca Pantera mesmo?’” comenta Pedro, aos risos, referindo-se ao visual do vocalista, que remete mais ao universo do rap.

Completando o quarteto, está João Lucas Pereira, o Frodo, baixista que, quando entrou no grupo já acompanhava o trabalho dos hoje colegas de banda. “Isso que foi algo legal. Era uma banda em que eu acreditava muito Meio que já era fã”, confessa.
 
(foto: Gustavo Breder/Esp.CB/D.A Press)
(foto: Gustavo Breder/Esp.CB/D.A Press)
 
 

Influências 


Além de Pantera, entral no rol de influências outros grupos pesados, como Rage Agaisnt the Machine, Megadeth e Planet Hemp. No cenário local, os quatro também apontam como referência importante o Câmbio Negro. As letras são compostas por Agga, e a maioria das harmonias são feitas por Sebastian, que busca adaptar o estilo mais pesado do heavy metal ao discurso do rapper, com rifes um pouco mais leves. 

Em 2016, a Escolta lançou o CD 'Na pele do lobo', no qual se destacam músicas como 'Reza', 'Personificação' e a que dá nome ao álbum, disponível no Spotify. Para o próximo semestre, o grupo espera lançar um novo disco, totalmente produzido de forma independente. 
 
*Estagiária sob supervisão de Humberto Rezende

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade