Publicidade

Correio Braziliense

Homem de 35 anos é preso por estupro de sete crianças em Taguatinga

Investigações foram iniciadas em 2014, após a denúncia do pai de uma das crianças. Ele passou três anos foragido e foi preso na Cidade Ocidental, no Entorno do DF


postado em 06/07/2017 09:06 / atualizado em 06/07/2017 18:27

Investigado pelo estupro de sete crianças, entre 3 e 9 anos, um homem foi preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). Segundo a corporação, o pai de uma das vítimas denunciou o suspeito, de 35 anos, em 2014. A partir daí, começaram as investigações que identificaram os demais crimes. À época, foi expedido um mandado de prisão preventiva, mas ele havia fugido de Taguatinga, cidade onde ocorreram os abusos. A prisão aconteceu nesta quinta-feira (6/7), na Cidade Ocidental (GO), Entorno do Distrito Federal.

 

Leia mais notícias em Cidades 

 

Após três anos foragido, por meio de denúncias, a Polícia Civil tomou conhecimento de que ele trabalhava como corretor de imóveis na cidade goiana. Os agentes se passaram por pessoas interessadas pelo serviço e marcaram um encontro com o acusado e lá ele foi preso. "Não mostrou nenhuma resistência. Confessou com naturalidade todos os casos", declarou o delegado-chefe da 17ª Delegacia de Polícia (Taguatinga), Joás de Souza.

 

O homem é acusado de estuprar dois enteados, uma filha dele, duas sobrinhas da ex-companheira, uma filha da vizinha e um irmão das enteadas. São quatro meninas e três meninos. Todos foram ouvidos na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) em 2014. Segundo Joás de Souza, no laudo, é possível observar que os crimes tinham semelhanças.

 

Crime bárbaro

Os estupros ocorreram entre 2006 e 2014, sempre no mesmo lugar: na casa do acusado, no Setor M Norte, em Taguatinga. Uma das crianças chegou a contar para a ex-companheira do estuprador, que não acreditou no que ouviu. Ele vai responder por estupro de vulnerável e pode pegar até 15 anos de prisão por cada crime. 


 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade