Publicidade

Correio Braziliense

PM é acusado de agredir motociclista após discussão de trânsito

O condutor da moto denuncia que o PM deu tapas em seu rosto e o ameaçou de morte. Segundo a corporação, as imagens serão analisadas


postado em 28/07/2017 21:54 / atualizado em 29/07/2017 14:25

Após uma manobra de trânsito que quase culminou em um acidente, um policial militar e um motociclista se envolveram em uma discussão, na noite desta quinta-feira (27/7). Luis Carlos Leão e o segundo sargento da Polícia Militar do DF Edmar Gomes de Souza iniciaram uma briga e o motociclista afirmou ter sofrido agressões e ameaças. O condutor da moto registrou o desentendimento com o celular.

Luis passava pela DF-010, próximo ao prédio do Departamento de Trânsito (Detran) e, segundo ele, quase foi derrubado da moto por um carro que mudava de faixa. Sobressaltado, o motociclista buzinou. Com isso, o veículo parou e impediu a movimentação da moto. Quem desceu do carro foi Edmar.

Irritados, os dois discutiram e o policial partiu para cima do motociclista, desferindo tapas até que o celular de Luis caiu no chão. A vítima conta que Edgar sacou a arma e que, antes de sair, o militar disse que lhe “daria um tiro na cara” - o que é possível ouvir no vídeo. Toda a movimentação foi filmada por Luis. A ocorrência foi registrada na 5ª Delegacia de Polícia (Área Central).
 
 
 
“Eu sempre respeitei a PMDF. Sempre os vi como profissionais que dão o exemplo e protegem a sociedade. Porém, o SGT Edmar Gomes não entende dessa forma a profissão e decidiu que o ideal era me agredir pela minha manifestação com a buzina para garantir a minha integridade física”, desabafou Luis nas redes sociais. Ele argumenta que decidiu denunciar o caso para que ninguém seja vítima desse tipo de agressão.
 
O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) afirmou, em nota, que a Promotoria de Justiça Militar é responsável por apurar casos desse tipo e que ainda não há nenhum procedimento aberto em relação ao ocorrido. "[A promotoria] vai verificar com a Corregedoria da PMDF mais informações sobre o fato para analisar as medidas a serem adotadas", diz o documento.

A Polícia Militar informou que ainda não recebeu denúncia formal sobre o caso e que as imagens serão analisadas. O Correio tentou contato com o sargento Edgar Gomes por telefone, mas não ainda conseguiu encontrá-lo para comentar o caso.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade