Publicidade

Correio Braziliense

Morre, aos 78 anos, cineasta gaúcho-brasiliense Geraldo Moraes

Geraldo que foi professor da Universidade de Brasília (UnB) foi essencial no processo de disseminação da imagem do Centro-Oeste brasileiro


postado em 05/08/2017 13:30 / atualizado em 05/08/2017 14:48

(foto: Reprodução/Facebook)
(foto: Reprodução/Facebook)

 

Morreu, na manhã deste sábado (5/8), aos 78 anos, o cineasta gaúcho-brasiliense Geraldo Moraes. As primeiras informações repassadas por amigos ao Correio são de que Geraldo havia sido internado em um hospital de Cuiabá (MT), depois de sofrer uma complicação em virtude de uma hepatite viral. Ele estava na região gravando uma minisérie, quando passou mal.

Leia mais notícias em Cidades

O ex-secretário de Cultura do DF Silvestre Gorgulho ressaltou que Geraldo foi essencial no processo de conhecimento da imagem do Planalto Central. "Foi uma das pessoas que mais deu vida à história do Centro-Oeste. O Geraldo, além de expandir a imagem da região, contribuiu de forma institucional para a evolução do audiovisual no Brasil", destacou.

Em seu perfil em uma rede social, o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, lamentou a morte do cineasta. "Acabo de receber a triste notícia do falecimento do cineasta, ex-presidente do CBC (Congresso Brasileiro de Cinema) e ex-secretário de audivisual Geraldo Moraes, que tive a honra de conhecer e de ter ótimas conversas sobre o cinema brasileiro". Leitão também elogiou a atuação institucional de Moraes. "Além de criador e realizador, era um pensador do nosso cinema. Viva Geraldo Moraes!", finalizou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade