Publicidade

Correio Braziliense

Um dia antes de latrocínio na Asa Norte, vizinhos denunciaram suspeitos

Em um áudio, uma pessoa se queixa da presença de dois suspeitos armados na mesma quadra em que morava a servidora do MinC Maria Vanessa Veiga


postado em 09/08/2017 13:31 / atualizado em 09/08/2017 14:33

O endereço é o mesmo em que a servidora do Ministério da Cultura (MinC) Maria Vanessa Veiga Esteves, de 55 anos, foi assassinada durante um assalto às 23h desta terça-feira(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
O endereço é o mesmo em que a servidora do Ministério da Cultura (MinC) Maria Vanessa Veiga Esteves, de 55 anos, foi assassinada durante um assalto às 23h desta terça-feira (foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
 

Em uma troca de mensagens em um grupo de WhatsApp, na segunda-feira (7/8), uma pessoa que trabalha na 408 Norte se queixou de sofrer uma tentativa de roubo na quadra. O endereço é o mesmo em que a servidora do Ministério da Cultura (MinC) Maria Vanessa Veiga Esteves, 55 anos, foi assassinada durante um assalto às 23h dessa terça-feira (8). Na conversa, ele reclama de uma dupla armada com uma faca e conta que pediu ajuda da Polícia Militar, mas que o PM que o atendeu impôs dificuldades e questionou a necessidade de mandar um carro, caso os criminosos não estivesse mais lá.

Leia mais notícias em Cidades

No fim do bate-papo, ele ainda se queixa. “Eles não querem mandar. Só se realmente assaltar, matar alguém.” A vítima descreve a dupla e afirma que um deles usava roupa preta e o outro, um casaco vermelho, e que estavam com uma mochila e armados com uma faca. “Os caras não vão embora. Pelo jeito, eles querem, eu acho que fui o primeiro que eles tentaram assaltar. Eles não conseguiram. Eles vão ficar aí, viu? Cuidado, gente, e avisem para os clientes”, alerta.

 

Correio entrou em contato com a PM sobre o policiamento na região e sobre a denúncia e aguarda retorno da corporação.

 

O crime

 

Maria Vanessa foi assassinada a facadas após ser roubada na quadra onde morava há dois anos. Dois homens não identificados a abordaram e levaram a bolsa e o celular da vítima. O caso é investigado por agentes da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) como latrocínio (roubo com morte).

De acordo com as informações da ocorrência registrada na 5ª DP (Área Central), Maria Vanessa Veiga estacionava o carro ao chegar ao prédio quando dois homens se aproximaram e tentaram roubar a bolsa dela. Enquanto um segurava a vítima, outro a esfaqueou pelas costas. Após o crime, os dois fugiram. Maria Vanessa morreu antes mesmo de o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegar ao local para o socorro.

 

 

Confira, na íntegra, a transcrição das mensagens de voz:
“Eu até liguei para a polícia, amigo, mas a polícia falou pra mim assim, é pra mandar gente aqui (sic)? Eu falei: ‘é lógico policial’. 'Mas mandar a viatura por quê? O pessoal ainda está aí? Não está aí?' Começou a enrolar e enrolar. 'Eu falei que o negócio é o seguinte, eu vou ver se tem uma viatura na rua'. Mas eles não quiseram mandar. Estão escondidos nos blocos. São dois caras com cara muito de mala. Cuidado, gente. E a polícia, infelizmente, não quis mandar ninguém aqui.

Avisem para os seus clientes que cuidado que eles estão no bloco do lado do meu bloco, o ‘E’, viu? Se algum cliente tiver estacionado o carro ali, fala para tomarem muito cuidado, que o pessoal ainda está ali.

F., um deles estava de mochila, com boné, e um de camiseta preta. Estavam muito sujos, cara de bandido, realmente, de chinelo também. O que estava com a faca estava de bermuda, de camiseta preta e calça preta. Esse com a faca estava com boné e uma jaqueta vermelha, muito, mas muito sujo mesmo, viu?

Olha, gente. Como eu falei, eu tentei ligar para a polícia. Mas o cara perguntou se era para mandar uma viatura. Eu falei que era. Aí ele perguntou onde. 'Taguatinga?' Eu disse que não, que era 408 Norte. Aí perguntaram se eles ainda estavam aqui. E ficou enrolando. É *. Eles não querem mandar. Só se realmente assaltar, matar alguém.

Os caras não vão embora. Pelo jeito eles querem, eu acho que fui o primeiro que eles tentaram assaltar, eles não conseguiram. Eles vão ficar aí, viu? Cuidado, gente, e avisem para os clientes.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade