Publicidade

Correio Braziliense

Bombeiros se esforçam para retirar corpo de cisterna em São Sebastião

A ação é longa devido a possibilidade de desabamento do terreno


postado em 16/08/2017 12:44

A preocupação dos bombeiros é com o risco de desabamento do terreno(foto: CBMDF/ divulgação)
A preocupação dos bombeiros é com o risco de desabamento do terreno (foto: CBMDF/ divulgação)

O corpo de Bombeiros já trabalham há quatro dias nas tentativas de retirar o corpo de Raimundo Nonato dos Santos, 63 anos, de uma cistena, em São Sebastião. Segundo a corporação, a ação é longa em razão do grande risco de desabamento da área do resgate. Raimundo caiu num buraco em uma chácara do Morro da Cruz no último sábado (12/8). O acidente aconteceu no fim da tarde, por volta das 17h30, e a vítima morreu no local. 

Os militares retornaram aos trabalhos às 9h desta quarta-feira (16/8). Até o fim da tarde de terça-feira (15/8), as escavações de busca já tinham alcançando cerca de 13 metros de profundidade. Os bombeiros trabalham para acessar o corpo com segurança, uma vez que a qualquer momento o terreno pode sofrer desabamento.

No momento do acidente, Raimundo trabalhava na colocação de manilhas na cistena. Ao cair, ele ficou soterrado por 2 metros de terra que caíram das laterais. A estrutura tem 20m de profundidade. Segundo os bombeiros, a cisterna está minando muita água. No sábado, a corporação foi ao local para fazer o salvamento da vítima e, após verificar que não era mais possível resgatá-lo com vida, as equipes de salvamento retornaram no domingo e reiniciaram a operação de retirada.

Raimundo já trabalhava no ramo há oito anos. A vítima era natural do Piauí e deixou um filho de 15 anos, que mora no Espírito Santo.

Com informações de Ingrid Soares

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade