Publicidade

Correio Braziliense

Após rompimento de adutora, Águas Claras vive dia de trânsito caótico

Interrupção da EPTG para consertar vazamento faz com que moradores da cidade passem horas no trânsito


postado em 17/08/2017 13:51 / atualizado em 17/08/2017 15:06

(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/CB/D.A Press)
 
O rompimento de uma adutora da Caesb, nesta quinta-feira (17/8), perto da junção entre a Estrada Parque Taguatinga (EPTG) e a Estrada Parque Vicente Pires (EPVP), na altura do viaduto Israel Pinheiro, faz com que os moradores de Águas Claras vivam um dia de fúria. Além de sofrer com a falta de água, quem precisa deixar ou circular de carro ou de ônibus pela cidade está enfrentando engarrafamentos gigantescos.
 
Como Águas Claras conta com apenas com dois acessos à EPTG, o bloqueio realizado pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER) na saída da EPVP, fez com que a outra saída, a do balão da faculdade Unieuro, recebesse um o fluxo intenso de veículos. Um morador da cidade que tentava chegar ao Guará por volta das 13h30, contou ao Correio que o trajeto, feito normalmente em 20 minutos, levou mais de uma hora para ser concluído.
 
Imagem do aplicativo Google Maps mostra, em vermelho, ruas congestionadas de Águas Claras(foto: Reprodução/Google Maps)
Imagem do aplicativo Google Maps mostra, em vermelho, ruas congestionadas de Águas Claras (foto: Reprodução/Google Maps)
 
 
A equipe do Correio esteve no local e constatou a dificuldade para quem está dirigindo na avenida Castanheiras. O congestionamento no local, no início da tarde, estava na altura da estação Arniqueiras do Metrô. Muitos moradores usaram as redes sociais para desabafar.
 
 

Com a lentidão, vários condutores tentam cortar caminho pelas ruas internas da cidade, o que deixa o fluxo caótico por praticamente toda Águas Claras. Outro ponto que também registra lentidão desde as primeiras horas da manhã é a Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB). O local é uma das opções para os moradores de Arniqueiras e Park Way chegarem ao Plano Piloto.
 
Sem previsão
 
E o transtorno, pelo visto, não tem hora para acabar. Segundo informações da Caesb, até as 14h não havia previsão para a conclusão do serviço nem para a liberação das pistas. A empresa também ainda não havia identificado a causa do rompimento nem sabia dizer quantos litros de água foram perdidos. A companhia informou apenas que o calendário de racionamento das áreas que sofreram corte hoje devido ao acidente será alterado. 
 
* Estagiário sob supervisão de Humberto Rezende 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade