Publicidade

Correio Braziliense

Corpo é resgatado de cisterna em São Sebastião após uma semana de trabalho

Raimundo caiu na cisterna no último domingo; profundidade, risco de desmoronamento e água dificultaram o resgate


postado em 19/08/2017 09:44 / atualizado em 19/08/2017 11:58

Para chegar próximo ao buraco onde está a vítima, os bombeiros cavaram uma estrutura de aproximadamente 11 metros(foto: Divulgação/CBMDF)
Para chegar próximo ao buraco onde está a vítima, os bombeiros cavaram uma estrutura de aproximadamente 11 metros (foto: Divulgação/CBMDF)


Após mais de 130 horas de trabalho, os bombeiros do Distrito Federal conseguiram, na madrugada deste sábado (19), retirar o corpo de Raimundo Nonato dos Santos, 53 anos, de uma cisterna em São Sebastião. 

 

Leia mais notícias em Cidades 


O homem caiu no poço no sábado anterior (12) enquanto trabalhava na colocação de manilhas. Os bombeiros foram acionados para o caso, mas ao chegarem, constataram que a vítima não havia sobrevivido ao acidente. Desde então, os trabalhos para retirar a vítima começaram. 


Segundo os informações dos Bombeiros, Raimundo estava soterrado. O resgate ocorreu por volta de 1h40. O Capitão Ronaldo Reis, da Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, conta que o Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para recolher o corpo e a família deverá comparecer ao IML para fazer o reconhecimento.



Sobre a operação de retirada o capitão relata: "Tivemos dificuldades desde o início dos trabalhos, tanto pela profundidade que o corpo se encontrava, quanto pelo risco de desmoronamento. Durante o resgate, uma das manilhas ainda quebrou, devido à pressão, e teve que ser substituída". Segundo ele, a água minava onde o corpo estava soterrado, o que foi mais um agravante. "Esse acabou se tornando um trabalho lento, devido aos fatores já citados. Precisamos por preservar a seguranças dos bombeiros que realizavam o resgate", explica o Capitão.

Após quase sete dias soterrado, o corpo de Raimundo apresentava sinais de decomposição. "Existe um processo natural de decomposição, mas os bombeiros usaram as vestimentas adequadas para evitar qualquer contaminação", complementou Ronaldo. 

 

O corpo de Raimundo foi levado para o IML, onde a família deve fazer o reconhecimento(foto: Divulgação/CBMDF)
O corpo de Raimundo foi levado para o IML, onde a família deve fazer o reconhecimento (foto: Divulgação/CBMDF)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade