Publicidade

Correio Braziliense

Última tentativa de acordo entre empresas e rodoviários ocorre nesta sexta

As partes vão estudar proposta sobre reajuste salarial de 2017 apresentada na audiência de conciliação realizada na manhã desta quinta-feira


postado em 14/09/2017 20:10 / atualizado em 14/09/2017 20:10

(foto: Divulgação TRT)
(foto: Divulgação TRT)
Às 17h desta sexta-feira, as empresas de transporte público do Distrito Federal e o Sindicato dos Rodoviários voltarão a se reunir, na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região, para uma última tentativa de alcançar um acordo para o reajuste da categoria referente à data base de 2017.
 
A desembargadora Maria Regina, após estudos realizados pela equipe técnica do Tribunal, apresentou às partes uma proposta que incluía, além da reposição inflacionária apresentada pelas empresas, o pagamento de um abono mensal de caráter indenizatório para os rodoviários, com duração até a próxima convenção coletiva da categoria. Os representantes das empresas e dos trabalhadores ficaram de analisar a proposta e trazerem uma resposta até a reunião desta sexta-feira (15/9).


A sugestão, segundo ela, traria um aumento real para os trabalhadores, sem gerar reflexos na folha das empresas por não gerar contribuição ao INSS nem pagamentos de 13º salário, férias, entre outros. Os empresários haviam apresentado uma proposta de reposição inflacionária, sem ganhos reais, o que representaria reajuste linear de 4,23%, com alteração da data-base da categoria, de maio para agosto. Os trabalhadores aceitaram discutir um índice de reajuste salarial de 6%, com aumento de 6% no tíquete-alimentação, de 7% na cesta básica e de 15% nos planos de saúde e odontológico. 

A representante do Ministério Público do Trabalho da 10ª Região chegou a apresentar, também, uma proposta que previa reajuste salarial de 4,5%, com aumento de 5% no tíquete, de 6% na cesta básica e de 14% em planos de saúde e odontológico. A sugestão chegou a receber a anuência do secretário de Mobilidade Urbana, Fábio Damasceno.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade