Publicidade

Correio Braziliense

Voto popular escolherá, entre três finalistas, a Marca Brasília

Depois de especialistas avaliarem 940 propostas e mais de 500 imagens, chegou a vez de o voto popular escolher a mais nova identidade brasiliense. Ganhador será conhecido em novembro durante a festa do Prêmio Colunistas


postado em 26/09/2017 06:00

As três marcas finalistas que disputam o voto popular(foto: Fecomercio/Reprodução)
As três marcas finalistas que disputam o voto popular (foto: Fecomercio/Reprodução)

O tempo é generoso com algumas cidades, mas, com outras, obriga gestores públicos e o setor produtivo a buscarem alternativas para crescer, atrair investimentos e fomentar o turismo. Reinventar-se exige investimentos em vários aspectos. E a capital federal passa por esse momento. Ontem, a Federação do Comércio (Fecomércio-DF) divulgou as três marcas finalistas do concurso Marca Brasília, que escolherá a identidade a representar Brasília internacionalmente.
 
 
A vencedora será a ferramenta principal de várias campanhas de valorização da cidade com o foco no turismo. Ao todo, o concurso recebeu mais de 940 propostas. Além disso, mais de 500 imagens foram avaliadas por uma comissão técnica. “O essencial para as marcas finalistas é ter identidade com o brasiliense. Mais do que representar a cidade, quem vive aqui tem de se sentir tocado pela imagem”, explica a presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing (ADVB), Cláudia Maldonado.

Antes de seguir para o voto popular, 10 especialistas de universidades de Brasília escolheram marcas que passaram para a fase final do concurso. Durante duas semanas, os trabalhos foram examinados por estudantes e professores dessas instituições de ensino. Durante 40 dias, os brasilienses podem votar via internet na marca preferida. O ganhador receberá a premiação na festa do Prêmio Colunistas, prevista para novembro, além de R$ 20 mil.

Quem quiser votar deve escolher umas das três finalistas no site www.marcabrasilia.com.br. “Essa é uma campanha de valorização da nossa cidade. Brasília é a nossa capital, é muito mais do que o Congresso Nacional ou o Eixo Monumental”, ressalta Cláudia. O logotipo poderá ser expresso por meio de signo, símbolo ou ícone que permita identificar a cidade e não pode fazer alusão a política, raça, credo e ideologias.

Desmistificar

Na última semana, os jurados das universidades avaliaram os projetos. “As ideias trazem a essência da cidade, como o clima e as características urbanísticas. O mais importante é representar, mas também ter identidade com quem vive aqui”, explica o coordenador do curso de turismo da Upis, Raul Torres. Entre os concorrentes estão alunos de várias instituições de ensino. Porém, durante o processo seletivo, os avaliadores não conheceram a autoria das obras.

O principal objetivo do concurso é desconstruir a imagem da cidade e desmistificar clichês. “A marca deve evidenciar o que Brasília tem de bom e mostrar para quem é de fora como é viver aqui. A cidade vai além do meio político e da Esplanada. Temos boas iniciativas e uma gente que ama e defende a cidade”, completa o vice-reitor do Iesb, Edson Souza.

Iniciativa internacional
 
Concursos como o Marca Brasília ocorrem em diversos países. Iniciativas semelhantes mobilizaram os Estados Unidos e o Peru, por exemplo. Nova York, quando buscou uma ressignificação, promoveu um concurso para a criação de uma identidade visual que representasse a Big Apple. Um grupo de empresas chegou à marca “I love NYC”. O Peru buscava aumentar o número de turistas estrangeiros e desenvolveu uma identidade. Há cinco anos, houve um concurso para escolher a Marca Brasil, com 180 inscrições.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade