Publicidade

Correio Braziliense

Artistas marciais comemoram 43 anos das aulas do mestre Woo, este domingo

Um café da manhã comunitário na Praça da Harmonia Universal, na EQN 104/105, vai marcar a data


postado em 30/09/2017 13:41

Mestre Woo, como é respeitosamente conhecido entre seus alunos, dedicou metade de sua vida a ministrar aulas de artes marciais todas as manhãs na quadra de esportes da Praça da Harmonia Universal(foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
Mestre Woo, como é respeitosamente conhecido entre seus alunos, dedicou metade de sua vida a ministrar aulas de artes marciais todas as manhãs na quadra de esportes da Praça da Harmonia Universal (foto: Zuleika de Souza/CB/D.A Press)
 

Artistas marciais comemoram, neste domingo (1/10), 43 anos de Ta Chi Being Tao no Plano Piloto. Um café da manhã comunitário, das 7h às 12h, na Praça da Harmonia Universal, na EQN 104/105, vai celebrar as aulas diárias do grão-mestre e médico Moo Shong Woo, 86 anos, que sempre ensinou a técnica gratuitamente a quem quisesse aprender. A programação vai contar, ainda, com apresentações musicais, rodas de conversa sobre saúde e bem-estar, oficinas de Tai Chi, Chi Kung e cultura chinesa e uma cerimônia de gratidão aos antepassados.

Leia mais notícias em Cidades

Mestre Woo, como é respeitosamente conhecido entre seus alunos, dedicou metade de sua vida a ministrar aulas de artes marciais todas as manhãs na quadra de esportes da Praça da Harmonia Universal. O artista marcial é natural de  Chiayi, Taiwan. Na terra natal, aprendeu com a família a medicina chinesa e o Tai Chi Chuan. Deixou a região nos anos 50, fugindo de uma ditadura, e foi estudar medicina nos Estados Unidos.

Ele chegou ao Brasil em 1961. Foi primeiro para São Paulo, sede de uma farta comunidade oriental, viveu também em Minas Gerais e mudou-se para Brasília em 1968. Morou em Taguatinga e deu aulas de inglês, chinês e japonês, e foi o primeiro professor dos dois idiomas orientais no Instituto Rio Branco. Em 1974, mudou-se para a 105 Norte, onde reside até hoje.

Cultura milenar

Com a junção de meditação, movimentos fluidos e lentos e reflexões a respeito de si e do mundo, o Tai Chi Chuan é uma arte marcial milenar chinesa que busca a harmonia entre corpo, mente e espírito. A prática ganhou o mundo e é popular principalmente no estilo Yang, formalizado pelo governo chinês e mestres do país na década de 1950, como uma forma de padronizar o exercício mundialmente.

 

Um dos alicerces filosóficos do Tai Chi é o Taoismo, religião chinesa que se assemelha muito mais a uma forma de filosofia que a uma instituição organizada, e prega, dentre outras coisas, o controle sobre os desejos e a espontaneidade. Em tradução livre, Tai Chi Chuan significaria algo como arte do punho longo e é praticado muito mais como uma forma saudável de exercício e de busca por autoconhecimento que como uma arte marcial letal, e possui diversos estilos.

O Chikung, por sua vez, é uma prática que pode estar inserida no Tai Chi e envolve desde exercícios de postura e respiração à práticas alimentares saudáveis como uma forma de lidar e canalizar a própria energia, com promessas de acalmar, relaxar e garantir maior longevidade ao praticante.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade