Publicidade

Correio Braziliense

Chuvas causam acidentes e inundam prédio da Secretaria de Saúde

Inmet prevê precipitações constantes e com intensidade variando entre as regiões do DF. As temperaturas não devem passar dos 28 graus


postado em 30/10/2017 21:33 / atualizado em 30/10/2017 22:56

Chovia no momento do acidente na DF 004(foto: CBMDF/Divulgação)
Chovia no momento do acidente na DF 004 (foto: CBMDF/Divulgação)
A chuva veio para ficar. É o que prevê o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), indicando o fim do período da seca na capital. Nesta segunda-feira (30/10), choveu em vários pontos do DF. Com a água, também vieram algumas ocorrências causadas por ela: acidentes, alagamentos e até inundações em salas da sede da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF). 
 
 
Uma médica da pasta, que preferiu não se identificar, trabalhava no prédio da SES/DF no momento em que grandes goteiras se formavam e a água empoçou no teto, que cedeu parcialmente com o peso extra. "É um absurdo. Choveu e o teto está simplesmente desabando", relatou. 
 
 
Em nota, a Secretaria de Saúde informou  que um problema na calha ocasionou o vazamentos na sala da diretoria de regulação ambulatorial, no edifício-sede da pasta. "A subsecretaria de Infraestrutura foi acionada, juntamente com a empresa que presta serviço de manutenção predial. Uma avaliação na estrutura foi realizada e todas as providências necessárias estão sendo tomadas", detalhou o comunicado. 
 
No início da noite, o Corpo de Bombeiros recebeu ocorrências referentes a dois acidentes causados pela chuva no Plano Piloto. O primeiro deles ocorreu na via L4 Sul, em frente à sede da Procuradoria-Geral da República (PGR), e comprometeu o trânsito na região. Duas pessoas ficaram feridas, mas nenhuma em estado grave. As vítimas foram encaminhadas ao Hospital de Base. A segunda ocorrência aconteceu no Setor Policial Sul, contudo, a corporação ainda não tem detalhes sobre o fato. 
 
Segundo o Inmet, 2 das 5 estações do instituto registraram precipitações: a do Plano Piloto, indicando 6 milímetros de chuva e a de Águas Emendadas, com 12,4 milímetros. A do Gama, Padef e Brazlândia não tiveram incidência. 
 
O meteorologista do Inmet, Luiz Cavalcante, analisa que, para os próximos dias, a chuva ainda não deve cair de maneira uniforme. "As precipitações não foram muito intensas e iguais entre as regiões. Para esta semana, esperamos uma situação parecida. Mas como certeza temos a de que vai chover. As temperaturas devem ficar entre 18 graus a mínima e 28 a máxima. Quanto à umidade, a variação deve ser de 60 a 95 por cento", afirmou. 
 

Racionamento

 
Apesar do fim do período seco, o racionamento não tem data para acabar. A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) informou que não há previsão de ampliação ou término da medida. A Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb), por sua vez, comunicou que, mesmo sem alterações significativas no quadro do Distrito Federal, seguirá com o monitoramento da situação.
 
Na avaliação da especialista em Geografia Urbana da UnB, Marília Peluso, os níveis dos reservatórios não devem sofrer aumentos significativos neste primeiro momento. "É preciso que, inicialmente, a água se infiltre nos córregos e riachos que abastecem as bacias, umedecendo a terra, para só depois conseguir levar o recurso em peso. Mesmo que os níveis aumentem, o consumo não pára, então o brasiliense deve internalizar esta prática de uso responsável da água para evitar novas crises", analisou. 

 
Alerta 

Com o início do período chuvoso, a Defesa Civil emitiu alguns alertas para que a população evite acidentes. Antes de as chuvas chegarem, as principais recomendações são de garantir a poda de árvores, o conserto de telhados e a retirada de lixo das ruas.

 

Já durante as precipitações, o mais indicado é abrigar-se em lugares altos (para se proteger de inundações), longe de árvores e, sempre que possível, fechados. A Defesa Civil aconselha não permanecer com objetos metálicos longos nas mãos e evitar piscinas, rios, lagos e demais áreas com água, além de terrenos descampados.

 

Em casa, o mais indicado é evitar telefones fixos com fios, distanciar-se de tomadas e objetos metálicos, e não tocar em equipamentos ligados à rede elétrica. 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade