Publicidade

Correio Braziliense

Lama e água invadem casas de Santa Maria e Vicente Pires

Moradores relataram que a água chegou a pelo menos 1 metro de altura


postado em 08/11/2017 17:30 / atualizado em 08/11/2017 19:20

A rua 4 C de Vicente Pires ficou tomada pela lama após as chuvas na região(foto: Hélio Barros/ divulgação)
A rua 4 C de Vicente Pires ficou tomada pela lama após as chuvas na região (foto: Hélio Barros/ divulgação)

A chuva com ventos de até 50km/h também resultou em alagamentos em diversas partes do Distrito Federal. Em Vicente Pires, uma via foi tomada pela lama. Moradores relataram que a água invadiu casas, estabelecimentos comerciais e garagens. Em Santa Maria, ruas do Condomínio Porto Rico também ficaram alagadas. Na tarde desta quarta-feira (8/11), a população ainda contabiliza os prejuízos.

 

Morador há oito anos da Rua 4 C de Vicente Pires, Hélio Barros, relatou não ter passado por uma situação semelhante até então. Por lá, durante a madrugada, famílias acordaram assustadas com a água tomando conta da via e invadindo algumas casas. "Na rua, a água ficou na altura do joelho", destaca. O radialista acredita que o alagamento ocorreu em razão de algum problema nas obras da rede pluvial na região. "Não fizeram nenhum boeiro. A água da chuva não tem vazão", aponta.

O subsolo de uma distribuidora de bebidas de Vicente Pires fico tomado por água e lama(foto: Flávio Henrique de Menezes/ divulgação)
O subsolo de uma distribuidora de bebidas de Vicente Pires fico tomado por água e lama (foto: Flávio Henrique de Menezes/ divulgação)
Na mesma rua, uma distribuidora de bebida também foi tomada pelas águas. Flávio Henrique de Menezes, 40 anos, dono do estabelecimento ainda não tem ideia das perdas. "O depósito que fica no subsolo chegou a quase 1 metro de água e lama. Perdi os produtos e aparelhos eletrônicos que estavam no local", lamentou o empresário.

 

Lama e casas destelhadas


Em Santa Maria, moradores do condomínio Porto Rico ficaram assustados com a enxurrada de água que invadiu as casas. No lote do adestrador de cães Walmor Caspar de Brito, 32 anos, o muro chegou a cair devido a força das chuvas. "Estavámos todos dormindo, quando começou a chuva mais forte. Quando vimos a água já estava dentro de casa", lembra. Walmir mora no local com a esposa e os dois filhos de 2 e 4 anos. "Penso em ver outro local para morar. Já é a segunda vez que acontece isso e fico com medo pelas crianças".
A força da enxurrada resultou na queda de um muro de uma casa no condomínio Porto Rico, em Santa Maria(foto: Walmor Caspar/ divulgação)
A força da enxurrada resultou na queda de um muro de uma casa no condomínio Porto Rico, em Santa Maria (foto: Walmor Caspar/ divulgação)


No Gama, o motorista de aplicativo Egidio Chiozzini, 27 anos, foi surpreendido com a água caindo sobre a sua cabeça. Ele mora no último andar de um prédio de três andares no Setor Central do Gama. A força dos ventos foi tão grande que a telha não surportou. "Alagou o apartamento. Perdi televisão, videogame e alguns outros objetos. A solução agora é ir para outro apartamento, pois lá não tenho como ficar".

Leia as últimas notícias de Cidades

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) a região de Gama e Santa Maria foram as que mais tiveram incidência de chuvas e ventos na madrugada desta quarta-feira (8/11). A estação meteorológica da Ponte Alta registrou 26,6 mm de precipitações em pouco mais de 1 hora.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade