Publicidade

Correio Braziliense

Em memória de Evaristo, Rollemberg decreta luto oficial de três dias

O goiano de Luziânia chegou à nova capital quando ela ainda engatinhava e dedicou sua vida à empresa de comunicação mais tradicional da cidade


postado em 23/11/2017 06:00 / atualizado em 23/11/2017 11:46

(foto: Arquivo Pessoal )
(foto: Arquivo Pessoal )

 

Brasília terá três dias de luto, oficialmente, a partir de hoje. O ato foi determinado pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, após saber da morte do pioneiro Evaristo de Oliveira, 72 anos. O goiano de Luziânia chegou à nova capital quando ela ainda engatinhava e dedicou sua vida à empresa de comunicação mais tradicional da cidade: o Correio Braziliense. No jornal, permaneceu durante 52 anos. Evaristo também era presidente da Fundação Assis Chateaubriand. Ainda não há confirmação sobre quando será o velório e o enterro do corpo do empresário.

 

Leia as últimas notícias de Cidades


“Brasília perde uma de suas maiores figuras humanas. Eu perdi um amigo querido. Convivi com Evaristo e sempre admirei sua capacidade de trabalho, sua cordialidade, seu jeito sereno de tratar dos assuntos mais diversos e complexos sem nunca perder a tranquilidade. Era um vizinho goiano, do Caetano, em Luziânia, muito querido e respeitado. Pioneiro, ele ajudou Brasília a se consolidar como a capital de todos os brasileiros. Trabalhando no Correio Braziliense, ajudou a construir a sua história, que é a de todos nós brasilienses. Minha solidariedade e pêsames à família neste momento tão doloroso. Essa perda é irreparável. Brasília está de luto”, afirmou Rollemberg em nota oficial enviada ao jornal.

Embora tenha feito carreira na capital federal, Evaristo sempre foi muito orgulhoso de suas origens, o que contribuiu para sua história bem-sucedida. Chegou à cidade em 1965, mas a relação com Brasília começou muito antes, quando ele assistiu à movimentação de operários e de máquinas que desembarcavam na região para consolidar o sonho de Juscelino Kubitschek.

 

Em nota, o deputado federal Alessandro Molon (Rede Sustentabilidade) relembrou o pioneirismo de Evaristo de Oliveira na cidade. "O time do Correio Braziliense perde um grande professor e Brasília perde uma testemunha ocular que, por mais de 50 anos, soube vivenciar e ajudar a noticiar os grandes fatos da Capital Federal", declarou. 

O Secretário Adjunto de Saúde e diretor-geral do Hospital de Base, Ismael Alexandrino, também lamentou a morte de Evaristo. "Rogo a DEUS que abençoe a família em luto e o receba em paz eterna. Meus sinceros sentimentos a todos que o amava", disse, em nota enviada ao Correio. Assim como Getúlio Lopes, reitor do Uniceub, que relembrou com orgulho a passagem de Evaristo pela universidade. “Orgulho do Ceub em tê-lo  como nosso aluno egresso das primeiras turmas.  Evaristo era um visionário com espírito empreendedor. Acima de tudo amigo, leal e ético", comentou.

 

Ver galeria . 20 Fotos Na inauguração do laboratório de Fotografia, com o editor Valério AyresArquivo Pessoal
Na inauguração do laboratório de Fotografia, com o editor Valério Ayres (foto: Arquivo Pessoal )
 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade