Publicidade

Correio Braziliense

Atrair investidores é principal desafio para ArenaPlex

Ao anunciar o edital de licitação do espaço, o presidente da Terracap Júlio César Reis destacou a necessidade de "requalificar" o empreendimento


postado em 22/12/2017 16:32 / atualizado em 22/12/2017 19:36

Área a ser transformada em complexo cultural, comercial e gastronômico(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
Área a ser transformada em complexo cultural, comercial e gastronômico (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)

 
O presidente da Terracap, Júlio César Reis, reuniu jornalistas nesta sexta-feira (22/12) para esclarecer pontos do edital de licitação da ArenaPlex - complexo que engloba o Estádio Nacional Mané Garrincha. O vencedor da licitação vai assumir a concessão por 35 anos e pagará à Terracap R$ 5 milhões por ano e porcentagem sobre ganhoseventuais, como o Correio adiantou.
 

“Essa é uma virada de página em relação ao Estádio Mané Garrincha. Nossa intenção é devolver para a população um centro esportivo qualificado e apto a receber eventos. Apesar dos investimentos, a população ainda não pôde desfrutar do espaço do Estádio. Precisamos requalificar aquele espaço”, resumiu Júlio. 

O principal desafio era atrair investidores sem o aporte de dinheiro público. Para o negócio se tornar financeiramente possível, será construído uma espécie de boulevard voltado para o entretenimento, com restaurantes e lojas. O investimento será de ao menos R$ 199 milhões. No discurso de Júlio, a palavra que mais aparece é “requalificação”, ao se referir a exploração comercial na região. A Terracap garante que o tombamento da aérea não será desrespeitado.
 

Fiscalização de investimentos e reformas 


Além da manutenção, a empresa que ganhar a concessão deverá realizar investimentos e reformas no Ginásio Nilson Nelson, o Complexo Aquático Claudio Coutinho e as quadras poliesportivas. Os custos podem chegar a R$ 80 milhões. Dois grupos estão interessados em assumir a gestão do espaço. O projeto prevê um estacionamento para 7 mil vagas. 

“É importante dizer que o Estádio foi construído com uma capacidade superior a que Brasília absorveria. Isso é um marco. As coisas que afligem o Estádio não podem impedir que o espaço sirva de forma adequada a população. É uma tentativa de dar uso e de requalificar o centro esportivo de Brasília tornando-o um ponto de referência de encontro e entretenimento”, explicou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade