Publicidade

Correio Braziliense

Santa Maria e Descoberto registram índice igualado em seis meses

Ambos reservatórios atingiram capacidade de 29%. Em junho deste ano, as barragens chegaram a registrar volume de 50%


postado em 29/12/2017 22:53 / atualizado em 29/12/2017 22:54

Porém, acúmulo das chuvas pelo Descoberto sofreu queda em dezembro(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Porém, acúmulo das chuvas pelo Descoberto sofreu queda em dezembro (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)


Para alívio dos brasilienses, o nível dos dois principais reservatórios do DF, tanto o de Santa Maria como o do Descoberto, voltaram a subir. Na tarde desta sexta-feira (29/12), ambos atingiram capacidade de 29%. O índice é considerado o maior volume de água registrado nos últimos seis meses no Distrito Federal. Apesar da boa notícia, o racionamento está longe de acabar e as autoridades continuam recomendando cautela aos consumidores, principalmente nesta época de férias escolares e festas de fim de ano. 


Em junho deste ano, as barragens também chegaram a registrar o mesmo volume. À época, o índice alcançou a marca dos 50%. Até esta quinta-feira (28/12), o reservatório do Descoberto operava com capacidade de mais de 28%. 

Apesar do aumento, o acúmulo das chuvas sobre o reservatório do Descoberto sofreu queda em dezembro. Na região, choveu apenas 220 milímetros. A média aguardada pela Agência Reguladora de Águas e Saneamento (Adasa) era de 246 milímetros.

Porém, no caso da barragem de Santa Maria, ainda de acordo com a previsão da Adasa, ultrapassou 205 milímetros, chegando a 252. Mesmo com a melhora, Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb) ainda lembra a população do uso consciente da água pela capital. 

Fiscalização reforçada


O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) também reforça a necessidade de economia de água mesmo em período de chuvas. Há mais de um mês, fiscais do instituto passaram por 21 municípios, entre eles 18 goianos e mineiros, além do Distrito Federal, para frear e combater construções irregulares, bem como o consumo abusivo de água. 

De acordo com o superintendente do Ibama no Distrito Federal, José Carlos Casado, na primeira semana de 2018, a fiscalização será intensificada no Lago Corumbá. “As pessoas esquecem que estamos em crise hídrica. Não é pelo fato de ter voltado a chover que os reservatórios estão cheios. O Ibama vai continuar reforçando”, pontuou o superintendente. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade