Publicidade

Correio Braziliense

Pastor é detido suspeito de abusar sexualmente de duas crianças

Polícia de Goiás cumpriu mandado de prisão contra o líder religioso suspeito de cometer crimes de estupro de vulnerável e importunação ofensiva ao pudor. O homem, de 77 anos, foi detido nesta quarta-feira (3/1), em Luziânia (GO)


postado em 03/01/2018 16:13 / atualizado em 03/01/2018 19:25

Pastor vivia no mesmo condomínio que as vítimas. Ele teria oferecido doces e frutas para atrair uma delas e teria tentado apalpar a outra criança(foto: PCGO/Divulgação)
Pastor vivia no mesmo condomínio que as vítimas. Ele teria oferecido doces e frutas para atrair uma delas e teria tentado apalpar a outra criança (foto: PCGO/Divulgação)
A Polícia Civil de Goiás prendeu, nesta quarta-feira (3/1), um pastor de 77 anos suspeito de cometer o crime de estupro de vulnerável e a contravenção de importunação ofensiva ao pudor contra duas crianças, uma de 11 e outra de 12 anos. O homem foi detido em Luziânia (GO).


De acordo com Maurício Passerini, delegado responsável pela investigação, o pastor vivia no mesmo condomínio que as vítimas. Ele teria oferecido doces e frutas para atrair uma delas, a de 11 anos, e, após levá-la para a casa onde ele morava, praticava os abusos. De acordo com a Polícia Civil, a vítima relatou que a violência era frequente e o caso mais recente teria ocorrido em meados de dezembro.

As ações do pastor foram descobertas depois de o padrasto da vítima de 12 anos ser informado pela enteada que o suspeito teria tentado apalpá-la. A testemunha resolveu denunciar o homem na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) depois de ver a vítima de 11 anos sair da casa do pastor, em 13 de dezembro.

Apesar de o mandado de prisão ter sido expedido nove dias depois, a ordem judicial só foi cumprida hoje. Após interrogatório, o investigado negou a prática dos crimes e disse ter se mudado para Planaltina recentemente. O caso segue sob investigação da 5ª Delegacia Regional de Polícia (DRP), em Luziânia.
 
* Estagiária sob supervisão de Guilherme Goulart 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade