Publicidade

Correio Braziliense

Policial em folga mata assaltante que o ameaçou com pistola

De acordo com a Polícia Militar, o policial passeava com o cachorro quando flagrou o assaltante e o comparsa abordando as vítimas. Ao dar voz de prisão, o acusado sacou uma pistola


postado em 05/01/2018 11:46 / atualizado em 05/01/2018 18:15

Dupla de assaltantes usava uma motocicleta para abordar as vítimas. O comparsa do acusado morto foi levado à 26ª DP e deve responder por roubo(foto: Divulgação/PMDF )
Dupla de assaltantes usava uma motocicleta para abordar as vítimas. O comparsa do acusado morto foi levado à 26ª DP e deve responder por roubo (foto: Divulgação/PMDF )
Um policial de folga matou um assaltante após o acusado ameaçar apontar uma arma ao PM, na manhã desta sexta-feira (5/1). O homem teria assaltado uma padaria na Via Principal de Samambaia Sul e, depois, cometido outros roubos contra passageiros que esperavam pelo ônibus em uma parada às margens da pista.

 
De acordo com a Polícia Militar, o policial passeava com o cachorro quando flagrou o assaltante e o comparsa, em uma motocicleta, abordando as vítimas na calçada. Ao dar voz de prisão, o acusado sacou uma pistola calibre 765. No comunicado inicial da Polícia Civil, constava que a arma era falsa, mas a ocorrência emitida pela corporação horas depois não deixou claro se se tratava ou não de um simulacro. Segundo a PM, a pistola usada pelo acusado era verdadeira.

Depois de disparar contra o assaltante, o policial se apresentou, espontaneamente, à 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia Norte). Ele assinou um termo de declaração e foi liberado em seguida. 

Uma guarnição da PM prendeu o outro acusado de roubo. Ele também foi levado à 26ª DP, onde continua detido. O corpo do assaltante morto ficou no local pela manhã para perícia.
 
Pistola falsa utilizada pelo assaltante simulava uma arma calibre 765(foto: Divulgação/PMDF)
Pistola falsa utilizada pelo assaltante simulava uma arma calibre 765 (foto: Divulgação/PMDF)
 

Corregedoria vai abrir inquérito

 
Em nota, o Centro de Comunicação Social da PM afirmou que a Corregedoria vai abrir um Inquérito Policial Militar para apurar a dinâmica do caso. No entanto, a polícia disse não existir indício que leve a detenção ou qualquer outro tipo de punição.

Ainda de acordo com a nota, todo policial militar, mesmo em folga, "deve agir ao se deparar a algum crime". A corporação trata o caso como legítima defesa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade