Publicidade

Correio Braziliense

85% dos servidores permanecem no Hospital de Base após criação de instituto

Os funcionários tiveram seis meses para escolher se continuariam nos postos de trabalho ou se preferiam ser redistribuídos na rede pública


postado em 05/01/2018 14:31 / atualizado em 05/01/2018 16:27

(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
 
 
Dos 3.236 servidores do Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF), 2.735 (cerca de 85%) optaram por continuar na unidade médica após a mudança de gestão para o Instituto Hospital de Base. Os funcionários tiveram seis meses para escolher se continuariam nos postos de trabalho ou se desejavam ser redistribuídos na rede pública. 
 
 
Segundo a Secretaria de Saúde, do total de funcionários que permanecerão, 1.941 optaram por ficar e outros 794 não se manifestaram durante a consulta, o que os levou a ser automaticamente classificados para continuar no Hospital de Base.  

O Executivo local esperava que entre 500 e 700 servidores deixassem a unidade. Aqueles que optaram por sair, no período determinado pela secretaria, puderam indicar três locais onde gostariam de trabalhar. 

Agora, o servidor continua com o direito de sair, mas não poderá mais indicar as preferências. Nesse caso, a nova colocação será a que for mais conveniente para a Secretaria de Saúde.

Em detalhe

Veja como fica o funcionamento do Hospital de Base

>>Os servidores concursados poderão escolher se permanecem trabalhando na unidade ou se preferem ser transferidos para outro local da rede pública. 

>>Os novos profissionais serão contratados com base na  Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), terão que bater metas e poderão ser demitidos. 

>>Os servidores que se aposentaram no Hospital de Base poderão ser recontratados como celetistas sem precisar passar por processo seletivo.

>>O governo terá que divulgar balanço de atendimentos e prestar contas anualmente até março. Haverá auditorias externas para analisar os dados.

>>O Hospital de Base terá um sistema que divulgará filas de espera, demanda reprimida e capacidade de atendimento. Isso hoje não acontece. 

>> O conselho administrativo será formado por 11 integrantes, sendo o secretário de saúde o presidente. Cinco postos serão indicados pelo governador. A Câmara Legislativa, o Conselho de Saúde, a Associação de Pacientes, a  sociedade civil e os sindicatos da saúde indicam um nome cada. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade