Publicidade

Correio Braziliense

Servidora do Hospital do Paranoá dispensa pacientes por superlotação

No início da noite de ontem, 48 pacientes estavam internados no pronto-socorro que tem capacidade para 31 pessoas


postado em 05/01/2018 17:30 / atualizado em 05/01/2018 19:46

Um vídeo gravado por um paciente e divulgado na quinta-feira (4/1) nas redes sociais mostra uma servidora do Hospital Regional do Paranoá dispensando doentes. Segundo a mulher que não teve a identifade revelada pela Secretaria de Saúde, a  unidade médica não tinha mais leitos para internação. O Executivo local afirma que o atendimento está normalizado e que se  trata de uma gravação antiga. 
 
 
A sala de espera do pronto-socorro estava cheia quando a servidora anunciou que ninguém seria atendido. "As pessoas foram internadas nos leitos, nas macas e nos corredores. Não tenho mais nenhuma maca para internar paciente. O hospital está com atendimento restrito", destacou. 
 
Os atendimentos de clínica médica, cirurgia geral e ortopedia foram suspensos. "Eu sei que é difícil vir aqui e não ser atendido", lamentou. A funcionária disse que dois médicos atendiam no momento. Ela ressaltou que o atendimento restrito foi informado para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e para o do Corpo de Bombeiros.
 
A direção do Hospital Regional do Paranoá informou, em nota, que o vídeo é antigo. Segundo a Secretaria de Saúde, nesta sexta-feira (5/1), pacientes passaram por reavaliação e receberam alta, o que melhorou o fluxo na unidade."A escala de médicos está completa, com atendimento normalizado em todas as especialidades", conclui o texto. 
 

Superlotação 


Na quinta-feira (4/1), o atendimento no hospital ficou restrito aos casos urgentes, admite a pasta. "No final da tarde, alguns pacientes com condições clínicas avaliadas e sem riscos receberam alta, o que possibilitou também a admissão de pacientes com classificação laranja", explica. 

No início da noite de ontem, 48 pacientes estavam internados no pronto-socorro, onde a capacidade é de 31 pacientes — sendo quatro vagas para o box de emergência. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade