Publicidade

Correio Braziliense

Mulher reclama de mau atendimento e flagra médico dormindo no HBDF

Elisângela de Oliveira Gomes, 33 anos, desconfiou do procedimento executado no Hospital de Base e, ao procurar médico, o encontrou dormindo na virada do ano-novo


postado em 05/01/2018 16:23 / atualizado em 05/01/2018 17:43

Ao cair no bueiro, sem nenhuma proteção, a recepcionista quebrou o pé esquerdo e torceu o direito(foto: Elisângela Gomes/ arquivo pessoal)
Ao cair no bueiro, sem nenhuma proteção, a recepcionista quebrou o pé esquerdo e torceu o direito (foto: Elisângela Gomes/ arquivo pessoal)

 

"É um descaso total." É dessa forma que Elisângela de Oliveira Gomes, 33 anos, resume o atendimento que recebeu na virada do ano no Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). A recepcionista precisou de atendimento depois de cair em um bueiro sem proteção na QN 27 do Riacho Fundo I e quebrar o pé esquerdo e torcer o direito. No hospital, estranhou o fato de um funcionário decidir enfaixar quase totalmente suas duas pernas e, ao procurar um médico para confirmar se o procedimento estava correto, encontrou o plantonista dormindo.

 

Leia as últimas notícias do Distrito Federal

 

Todo o episódio foi filmado com um celular (assista abaixo, em reportagem da TV Brasília) pelo acompanhante de Elisângela, que conta ter passado pela situação por volta das 4h da segunda-feira 1º.

 

 

 

Segundo ela, o atendimento inicial foi normal. Os problemas começaram quando foi encaminhada para a sala de medicações. "O médico me enviou para tomar um remédio, mas, quando cheguei à sala, não havia prescrição. Tive que voltar ao consultório, mas ele já não estava lá. Havia também uma outra moça esperando atendimento. Apenas informaram que o médico estava fazendo um atendimento mais greve em outra área do hospital", lembra.

 

Depois disso, Elisângela seguiu para o setor onde se enfaixa as lesões. Lá, teve outra surpresa. "O rapaz enfaixou corretamente o meu pé esquerdo, que estava quebrado. Na hora de ir para o lado direito, ele queria mobilizar até a altura do joelho, sendo que eu apenas havia torcido o pé. Questionei, e ele disse que estava apenas fazendo o que havia sido determinado pelo médico", conta. 

 

Insatisfeitos, ela e o namorado começaram a filmar a ação. Quando foram procurar pelo médico, o flagraram dormindo em uma das salas do hospital. A paciente acabou não sendo mais atendida pelo especialista. Ela somente foi imobilizada da maneira correta após a troca de turno. Com isso, saiu da unidade hospitalar por volta das 8h e seguiu para a 5ª Delegacia de Polícia (Central) para fazer ocorrência sobre o caso.


Órgãos públicos se manifestam

 

Procurada pelo Correio, a Secretaria de Saúde afirmou que, durante o período de Natal e ano-novo, não houve mudança na escala. "De acordo com resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), os médicos podem descansar no plantão caso não haja grande demanda de pacientes ou tenha mais de um plantonista escalado, desde que não comprometa o atendimento de emergência".

 

A pasta também informou que as escalas dos plantões são divididas em turnos de seis horas diurnas, 12 horas diurnas e 12 horas noturnas. "Cada especialidade, com sua chefia imediata, elabora a escala de acordo com o número de médicos existentes. As escalas são enviadas para o pronto-socorro para a conferência dos profissionais escalados", diz o texto.

 

Por meio da assessoria de imprensa, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) informou que tomou conhecimento da situação e enviou técnicos ao local para mapear os bueiros que necessitam de reparos. "Na próxima semana, equipes estarão na região realizando os reparos", destacou o comunicado.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade