Publicidade

Correio Braziliense

Sem patrocínio, governo investe 5 milhões no carnaval de Brasília

O montante vai ser usado nos blocos e escolas de samba, além da contratação de 40 artistas locais para embalarem a festa


postado em 05/01/2018 22:21 / atualizado em 08/02/2018 19:36

(foto: Tony Winston/Agência Brasilia)
(foto: Tony Winston/Agência Brasilia)

O carnaval de Brasília de 2018 vai receber R$ 5 milhões de investimento do Governo de Brasília. Apesar da abertura do edital para convocar patrocinadores, apenas uma proposta de R$ 700 mil foi feita e, posteriormente, recusada pela comissão, com a alegação de ser um "valor muito baixo". O recurso será aplicado em 19 regiões administrativas para custear a logística dos blocos de rua, escolas de samba e demais eventos da folia. 
 
 
O investimento é mais do que dobro do que foi feito no ano passado, quando a festa recebeu R$ 2,3 milhões do governo. O aumento se deu a partir da estimativa de público, que deve atingir 2,5 milhões de foliões, um milhão a mais do que em 2017. 

A verba prevê, também, a contratação de 40 artistas locais que vão se apresentar nos blocos, em programação que ainda vai ser decidida. As atrações serão escolhidas por meio de chamamento público e deve destinar R$ 525 mil no total. 

Os blocos podem se inscrever para participar até 30 dias antes do Carnaval. Até esta sexta-feira (5/1), 101 blocos se cadastraram, sendo 60 no Plano Piloto e 41 em outras regiões administrativas. Também estão cadastrados 173 eventos: 100 no Plano Piloto e outros 73 nas demais regiões administrativas. 

Neste ano, tanto o cadastro dos blocos quanto a emissão de alvarás e de licenças são feitos por meio do Centro Integrado de Atendimento ao Carnavalesco — formado por órgãos como as secretarias de cultura, segurança pública, mobilidade, além do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) e do Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF). 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade