Publicidade

Correio Braziliense

Veja o que se sabe até agora sobre o caso da mulher baleada na 408 Sul

Ieda Maria Neiva Rizzo reagiu à abordagem de um criminoso e levou um tiro no peito. A polícia acredita em tentativa de latrocínio


postado em 09/01/2018 14:12 / atualizado em 09/01/2018 16:37

Peritos examinam o local do crime, que aconteceu por volta de 21h da segunda-feira(foto: Luís Nova/Esp. CB/D.A Press)
Peritos examinam o local do crime, que aconteceu por volta de 21h da segunda-feira (foto: Luís Nova/Esp. CB/D.A Press)
 

 

A Polícia Civil afirmou, nesta terça-feira (9/1), que descarta a hipótese de tentativa de estupro no caso da mulher baleada no peito após reagir à abordagem de um criminoso na Asa Sul, na noite de segunda-feira. A linha de investigação é de tentativa de latrocínio, embora, ao ser levada para o hospital, a vítima tenha dito que havia sofrido uma tentativa de estupro.

 

O crime aconteceu por volta de 21h23. Ieda Maria Neiva Rizzo, 54 anos, entrava no carro, no estacionamento residencial da 408 Sul, entre os Blocos A e B, quando um criminoso a surpreendeu.

 

Leia as últimas notícias do Distrito Federal

 

O crime foi registrado pelo circuito de segurança do bloco na frente do qual o carro da vítima estava estacionado. A mulher deixava a casa do namorado e foi seguida até o veículo. Ao ser abordada, ela reagiu e acabou atingida no peito. O criminoso fugiu sem levar nada.

 

Ieda foi levada ao Hospital de Base, onde passou a madrugada de segunda-feira. No fim da manhã, ela foi transferida para um hospital particular, após a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde informar que ela estava "consciente e orientada".

Veja o que se sabe sobre o crime até este momento:

 

A vítima

A vítima se chama Ieda Maria Neiva Rizzo, tem 54 anos e trabalha como psicóloga. Ela teria ido ao endereço se encontrar com o namorado.

 

A ação

A câmera do prédio em frente à vaga que a mulher estacionou registrou toda a ação do criminoso.

 

A ação do criminoso durou menos de 50 segundos, entre o momento que o criminoso chega ao local e foge após disparar contra a vítima.

 

Investigação

O caso está a cargo da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul). Até agora, nenhum suspeito foi preso. 

 

Hipótese da polícia 

A polícia acredita que o bandido estava interessado no carro de Ieda, um Nissan Kicks preto, modelo 2017.

 

Na ambulância, Ieda teria relatado que o criminoso tinha a intenção de estuprá-la. Porém, pelas características do crime, a Polícia Civil registrou o fato como tentativa de latrocínio. 

 

Socorro 

Após o crime, um porteiro prestou socorro à vítima e acionou o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).

 

Ieda foi levada para o Hospital de Base do Distrito federal onde foi submetida a uma cirurgia para colocar um dreno no pulmão, perfurado pelo tiro. Na terça-feira, foi transferida a um hospital particular.


 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade