Publicidade

Correio Braziliense

Governo desobstruiu 1,7 milhão de metros quadrados da orla do Lago Paranoá

Cobranças para moradores que não recuaram cercas e muros irregulares chegou a R$ 180 mil. A ação durou um ano e meio


postado em 12/01/2018 10:36 / atualizado em 12/01/2018 15:46

A Agefis iniciou a operação em 24 de agosto de 2015(foto: Tony Winston/Agência Brasília)
A Agefis iniciou a operação em 24 de agosto de 2015 (foto: Tony Winston/Agência Brasília)

O governador Rodrigo Rollemberg fez a entrega da nova orla do Lago Paranoá após a desobstrução de cerca de 1,7 milhão de metros quadrados de terras no Lago Sul e Norte. A operação foi iniciada pela Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) em 24 de agosto de 2015 e durou dois anos. Foram realizadas 125 operações e 454 lotes foram recuados. 

 
O lançamento ocorreu nesta sexta-feira (12/1) no Parque Asa Delta, no Lago Sul. Rollemberg agradeceu aos 10 órgãos que trabalharam na operação Orla Livre, relembrando as diversas vezes que a ação foi interrompida por conta de processos judiciais. “Diziam que não conseguiríamos concluir isso porque estávamos mexendo com gente muito poderosa. Mas acima de qualquer coisa, existe a constituição federal e a lei. A orla é um local público, e agora é de todos”, discursou. 
 
A área do Parque da Asa Delta e do da Península, as primeiras desobstruídas, começaram a receber infraestruturas, como ciclovia, grama e iluminação. Mas nos locais ainda faltam banheiros e bebedouros. Rollemberg afirmou também que o trapiche que ligará Parque Asa Delta, Parque Península Sul e Pontão do Lago Sul será entregue em março.


Ver galeria . 5 Fotos  Ed Alves/CB/D.A Press
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press )
 
 
Durante o período da ação, R$ 180 mil foram cobrados pela Agefiz dos moradores que não recuaram cercas e muros irregulares por conta própria. A medida é aplicada para residências que tivessem construções até 30 metros das margens do lago. Mesmo assim, ainda há lotes não retirados do local, como a Marinha e as embaixadas do Qatar, da China e da Argentina. Segundo o Governo, está em sendo feita negociação com a Advocacia-Geral da União (AGU) para realizar a desobstrução das áreas sem causar problemas diplomáticos.
 

Nova utilização

 
O GDF espera agora o ganhador do concurso do Masterplan da Orla do Lago Paranoá, que pretende encontrar uma proposta destinada a uma melhor ocupação da orla. “Esse será o segundo projeto mais importante da história de Brasília, atrás  apenas do que definiu a construção da nova capital”, garantiu Rollemberg. 

Interessadas em participar devem acessar o site do concurso e realizar a inscrição gratuitamente até 23 de fevereiro. O julgamento ocorrerá entre 17 e 20 de abril, e o resultado será anunciado no dia 21, no aniversário de Brasília.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade