Publicidade

Correio Braziliense

PCDF suspeita de acerto de contas em tiroteio que feriu seis em Ceilândia

Segundo delegado da 23º DP, a linha de investigação é sobre tentativa de homicídio motivado por acerto de contas. Entre as seis vítimas, um homem de 29 anos segue em estado grave e corre risco de morte


postado em 13/01/2018 13:02 / atualizado em 13/01/2018 13:40

(foto: PMDF/Divulgação)
(foto: PMDF/Divulgação)
 

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) está investigando o tiroteio que deixou seis pessoas feridas na noite dessa sexta-feira (12/1), em Ceilândia. A principal suspeita é que o crime tenha sido motivado por um acerto de contas. Até a última atualização desta reportagem, ninguém havia sido preso e o estado de saúde de todas as vítimas é considerado estável pela Secretaria de Saúde do DF.

 

Leia as últimas notícias de Cidades 

 

A rajada de tiros aconteceu em um posto de gasolina, no Pró DF, em Ceilândia Sul. Um homem em um VW Gol preto parou ao lado de um Chevrolet Vectra branco e abriu fogo. Foram disparados diversos tiros, que atingiram as seis pessoas, além de veículos estacionados no local.

 

Segundo o delegado da 23ª Delegacia de Polícia (Ceilândia), responsável pela investigação, o alvo seria Rosivaldo de Jesus, conhecido com Buiu, de 29 anos. Ele teria sido o único ferido que, devido à gravidade dos ferimentos, aguardou o socorro do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF). Foram três tiros: dois no tórax e um no braço.  Ele foi levado em estado gravíssimo para o Hopistal Regional de Taguatinga (HRT).

 

De acordo com o chefe da investigação, Rosivaldo de Jesus ainda corre risco de morte e segue internado na unidade de saúde. A PCDF realizou uma perícia no local, mas ainda não informou quantos disparos foram realizados no total. Foram encontrados cartuchos de 9mm na área.

 

As outras cinco vítimas, entre elas uma criança de 8 anos e um adolescente de 17, foram, com ajuda de populares, para o Hospital Regional de Ceilândia (HRC), onde receberam os primeiros socorros. Dessas, nenhuma pessoa está em estado grave ou corre risco de morte.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade