Publicidade

Correio Braziliense

Grupo de amigos organiza Babydoll de Nylon "alternativo" para o carnaval

Proposta nasceu após brincadeira entre fãs do bloco brasiliense e já reúne mais de 700 pessoas confirmadas e 2,9 mil interessados


postado em 23/01/2018 19:15 / atualizado em 08/02/2018 19:33

Nas ruas desde 2011, bloco do Babydoll de Nylon reuniu mais de 160 mil pessoas na Praça do Cruzeiro no ano passado(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press - 25/2/2017)
Nas ruas desde 2011, bloco do Babydoll de Nylon reuniu mais de 160 mil pessoas na Praça do Cruzeiro no ano passado (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press - 25/2/2017)

Decepcionados com a notícia de que o bloco Babydoll de Nylon não faria mais parte das festividades carnavalescas de 2018, um grupo de amigos decidiu criar uma versão não oficial para reunir fãs de um dos blocos mais populares da capital federal. Planejado por meio de um evento no Facebook e intitulado "Órfãos de Babydoll", o evento está marcado para o mesmo dia, horário e local em que o Babydoll de Nylon desfilaria neste ano.


A proposta surgiu como uma brincadeira entre amigos do jornalista Marcos Santana, 30 anos. Ele conta que criou o evento em 19 de janeiro, mesmo dia em que os organizadores do bloco anunciaram em uma coletiva de imprensa os motivos para não participarem do carnaval brasiliense.

Marcos decidiu reunir amigos que também eram fãs do bloco em um evento pequeno, na Praça do Cruzeiro. Além de trajarem o tradicional babydoll, os requisitos eram que os convidados levassem amigos, bebidas e animação. O que o jornalista não esperava era a repercussão que a proposta alcançaria nas redes sociais. Até as 18h desta terça-feira (23/1), a página do evento no Facebook estava com 2,9 mil pessoas interessadas e mais de 700 presenças confirmadas na comemoração, marcada para 10 de fevereiro.

"Era para ser uma reunião de amigos que protestariam pela ausência de investimentos do governo em alguns blocos da cidade. Criamos um evento no Facebook para protestar e dizer que o carnaval de Brasília tem de existir. Só não estávamos prevendo essa repercussão. Um amigo foi convidando outros, e os outros convidaram mais. Agora estamos com 2 mil interessados", afirmou Marcos.

Diante da quantidade de pessoas que pretende comparecer, Marcos contou que agora aguarda uma autorização da Administração do Plano Piloto para promover o evento. A pasta informou ao Correio que uma solicitação para uso da Praça do Cruzeiro foi apresentada hoje, por telefone. No entanto, o setor responsável ainda não emitiu um parecer a respeito da permissão de uso.

Investimentos em dobro


Na sexta-feira passada (19/1), após o anúncio dos organizadores do bloco, a Secretaria de Cultura (Secult) informou que não houve falta de recursos financeiros para o carnaval deste ano. A Secult também afirmou que, em 2017, convidou integrantes de todos os blocos carnavalescos para um seminário sobre a abertura de um edital de patrocínio. Ainda segundo a pasta, com a insuficiência de recursos da iniciativa privada, o GDF forneceu o dobro de recursos diretos para o carnaval de 2018.

De acordo com a secretaria, os 136 blocos que manifestaram interesse em ir às ruas e aderiram ao Plano de Carnaval serão atendidos com os insumos necessários para os desfiles, como banheiros químicos, palcos, trios elétricos e sistema de som. No caso do Babydoll de Nylon, a Secult afirmou que o bloco não enviou solicitação de apoio e não se cadastrou para participar da festa deste ano. 

* Estagiária sob supervisão de Mariana Niederauer

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade