Publicidade

Correio Braziliense

Chuva alaga ruas de Vicente Pires prejudicando motoristas e comerciantes

Segundo relatos de moradores, precipitação com duração de 15 minutos foi suficiente para causar estragos em veículos e inundar estabelecimentos comerciais


postado em 24/01/2018 20:40 / atualizado em 24/01/2018 22:41

Carro enguiçou na rua alagada após chuva de 15 minutos(foto: Arquivo pessoal)
Carro enguiçou na rua alagada após chuva de 15 minutos (foto: Arquivo pessoal)


A chuva que atingiu Vicente Pires no início da noite desta quarta-feira (24/1) causou transtornos na região. Imagens feitas por moradores mostram ruas alagadas e carros enguiçados. De acordo com a população, a precipitação durou cerca de 15 minutos, mas foi suficiente para causar prejuízos a motoristas que passavam pelo local. Segundo relatos, os locais mais atingidos forma as ruas 3, 5, 7 e 8.


Estudante e morador da região, Rodrigo Tolentino, 27 anos, contou que nunca tinha visto tanta água nas vias de Vicente Pires, apesar de as inundações serem frequentes na localidade. "Foi uma chuva repentina. Eu estava voltando do trabalho e, quando vi, havia carros da polícia, caminhões de lixo e ônibus parados. Há bueiros nas ruas, mas eles não são suficientes para dar vazão à água. É algo que sempre acontece", relatou. 

Rodrigo disse ainda que o temporal gerou prejuízos aos comerciantes. "Uma padaria na minha rua alagou e não havia o que ser feito. Agora a situação está se normalizando, mas só carros grandes conseguem passar", detalhou. 

Usuária de transporte coletivo, a gerente Monique Dias, 31, afirmou que o cenário era de calamidade, principalmente para os passageiros dos ônibus que circulam na cidade. Ela disse que não teve como descer próximo ao condomínio onde mora tanto pela altura em que a água estava qunato pela ausência de calçadas nas ruas. "Aqui não pode nem chuviscar. Na Rua 5, por exemplo, havia carros que não conseguiam passar e precisaram voltar de ré", comentou.

A moradora da Rua 8 também destacou que a situação fica pior nas vias onde há obras: "Onde moro está sem asfalto. Eles começam (as obras), param e ficam sem dar continuidade no período de seca. Só voltam quando chove. Parece um processo que nunca tem fim", reclamou.

Chuvas previstas


Na manhã de hoje, 
o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) indicou a possibilidade de chuva em áreas isoladas do Distrito Federal no período da tarde. 
A temperatura mínima ficou na casa dos 20ºC e a máxima alcançou 31ºC. Já a umidade relativa do ar variou entre 30% e 70%. Ainda de acordo com o Instituto, chuvas contínuas devem começar a partir de amanhã.
 
* Estagiária sob a supervisão de Margareth Lourenço (Especial para o Correio

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade