Publicidade

Correio Braziliense

Rollemberg anuncia mudanças nos pagamentos de servidores do Executivo

O governador Rodrigo Rollemberg vai antecipar o pagamento dos servidores públicos do Executivo. Medida faz parte de acordo fechado com deputados distritais durante a votação da reforma da Previdência local


postado em 25/01/2018 06:00 / atualizado em 25/01/2018 12:04

(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)

 

Cumprindo promessa feita durante as negociações para a aprovação da reforma da Previdência, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) pagará os salários dos servidores do DF referentes a janeiro até 2 de fevereiro. A medida vai beneficiar 110 mil servidores da administração direta.

 

Leia as últimas notícias de Cidades 

 

Até 2014, na gestão de Agnelo Queiroz (PT), os depósitos eram realizados ainda no mês trabalhado. Diante da crise financeira, Rollemberg adiou os pagamentos para até o quinto dia útil do mês seguinte. “No dia 1º de fevereiro, à noite, nós faremos o pagamento dos salários relativos ao mês de janeiro. Com isso, a partir do dia 2 de fevereiro, o pagamento já estará disponível”, anunciou.

 
Condição de distritais 

 

A medida foi uma das condições impostas pelos deputados distritais para aprovar, em setembro, a fusão dos dois fundos que compunham a Previdência. A manobra gerou a economia de R$ 1,2 bilhão aos cofres públicos. “Isso só foi possível graças a todo o esforço e todo o trabalho do governo para arrumar a casa. Tenho certeza que 2018 será o ano da prosperidade no Distrito Federal”, afirmou Rollemberg.

O governo já havia anunciado, em outubro do ano passado, que voltaria a adiantar o pagamento, quando deixou o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Durante o período, o Executivo local ficou proibido de ultrapassar o teto de 46,55% da receita com despesas de pessoal. A situação impedia a abertura de editais de concursos público, por exemplo. Para reduzir os gastos, o governo congelou 771 cargos comissionados, vedou cláusulas de acordos coletivos das empresas que previam reajustes salariais e criou regras para nomeação de servidores efetivos.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade