Publicidade

Correio Braziliense

Coronel da PM acusado de extorsão é solto

Francisco Eronildo Feitosa teve dois habeas corpus indeferidos. Contudo, um dia antes de ser aposentado pela corporação, com salário de mais de R$ 17 mil, militar conseguiu soltura


postado em 30/01/2018 13:27

Corporação confirmou soltura do militar, que é acusado de extorquir empresários que faziam serviços para a PM(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Corporação confirmou soltura do militar, que é acusado de extorquir empresários que faziam serviços para a PM (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
 
O coronel da Polícia Militar suspeito de extorsão, Francisco Eronildo Feitosa, recebeu soltura do 19ª Batalhão, a Papudinha. Ele foi preso em novembro do ano passado, em decorrência da Operação Mamon. Ex-diretor do Departamento de Logística e Finanças, o homem conseguiu a aposentadoria no último dia 26, com remuneração de R$ 17,5 mil.


Depois de ter dois pedidos de soltura negados, um deles na terça-feira da semana passada (23/1), indeferido pelo Superior Tribunal de Justiça, a PM confirmou que a defesa de Feitosa conseguiu com que ele fosse solto. A decisão foi tomada após uma audiência de instrução do processo contra o militar, no último dia 25. 
 
O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) acusou Feitosa de extorquir empresários que faziam serviços de manutenção de veículos oficiais para a PM. As investigações apontam que eles só recebiam o dinheiro devido após pagar vantagens. As atitudes do coronel representam crimes de concussão e de associação criminosa.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade