Publicidade

Correio Braziliense

Bombeiro atira na cabeça de homem durante briga de trânsito

Caso aconteceu em Taguatinga Norte na tarde desta segunda. Militar será autuado, de acordo com a Polícia Civil, em legítima defesa


postado em 05/02/2018 16:43 / atualizado em 05/02/2018 23:34

Militar efetuou três disparos após ser perseguido por cerca de 8 km na BR-070(foto: Jéssica Eufrásio/Esp. CB/D.A Press)
Militar efetuou três disparos após ser perseguido por cerca de 8 km na BR-070 (foto: Jéssica Eufrásio/Esp. CB/D.A Press)

Uma briga de trânsito acabou em tiroteio, nesta segunda-feira (5/2), no Pistão Norte, em Taguatinga. Um cabo do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF), de 28 anos, se apresentou à 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), após abrir fogo contra um homem, passageiro de outro veículo. A vítima, que tem 23 anos, foi baleada na cabeça e socorrida, às pressas, no Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Devido à gravidade do ferimento, foi transferido posteriormente ao Hospital de Base do Distrito Federal (HBDF). Até a última atualização desta reportagem, o jovem encontrava-se em estado grave, internado na unidade de saúde. 
 
 
O caso aconteceu por volta das 14h. Segundo a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), o motorista de um Fiat Siena, que não teve a identidade divulgada pelas autoridades, teria colidido contra o veículo do militar próximo a uma borracharia, em Ceilândia Norte. Houve uma discussão acalorada e os comerciantes, que identificaram os ocupantes do outro veículo como pessoas "barra pesada", aconselharam que o militar deixasse o local o quanto antes.

Momentos depois, o militar percebeu que era perseguido pelo Siena. Sob a justificativa de ter visto uma arma com o passageiros do outro veículo, depois de ambos ficarem emparelhados, o bombeiro teria efetuado três disparos: um para cima e dois em direção ao carro. Um dos projéteis atingiu o passageiro na cabeça. Quando percebeu que o veículo havia parado, o bombeiro contou aos investigadores que procurou imediatamente uma unidade policial, para explicar o ocorrido. 

Em depoimento, o bombeiro alegou ter agido em legítima defesa, uma vez que se sentiu ameaçado. "Depois de os ocupantes do Siena terem dito que iriam voltar em breve para resolver a situação, o borracheiro recomendou que o bombeiro fosse embora. Ele foi sem executar os serviços no local”, contou o delegado-chefe da 12ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), Josué Ribeiro da Silva, para onde o caso foi encaminhado. 

O homem que acompanhava a vítima também prestou depoimento na delegacia. Ele confirmou que houve uma discussão, mas negou que estivesse portando uma arma de fogo. O rapaz garantiu que perseguia o militar na intenção de anotar a placa do automóvel. 

Apesar de os depoimentos terem sido colhidos por agentes da 12ª DP, o inquérito será remetido à 17ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Norte). O bombeiro responderá um processo administrativo em liberdade. A Polícia Civil protocolou o caso como legítima defesa. O motorista do Siena, que também foi liberado, e a vítima do disparo já tinham passagem pela polícia por roubo, tráfico de drogas, receptação e acidente de trânsito com feridos. 
 
Por meio de nota, o Corpo de Bombeiros informou que uma equipe da corregedoria vai acompanhar o caso e colherá o depoimento detalhado do militar, para definir quais medidas serão adotadas. A nota dizia, ainda, que a corporação tem total "interesse em esclarecer a situação".
 
* Estagiária sob supervisão de Anderson Costolli 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade