Publicidade

Correio Braziliense

Acusado de enforcar e matar servidor do Itamaraty vai a júri popular

O crime aconteceu em 19 de outubro de 2016. O corpo da vítima foi encontrado dentro do próprio apartamento, com sinais de estrangulamento


postado em 06/02/2018 22:12 / atualizado em 06/02/2018 22:15

Josué foi encontrado em casa por familiares no dia seguinte(foto: Facebook/Reprodução)
Josué foi encontrado em casa por familiares no dia seguinte (foto: Facebook/Reprodução)
 O homem acusado de matar o assistente de chancelaria do Itamaraty, Josué Nóbrega Pereira, 31 anos, vai a júri popular nesta quarta-feira (7/2). O julgamento de Anderson Vieira Brito, 19, está previsto para começar às 9h. Se condenado, ele pode responder pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e furto.
 
 
 De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), entre as 23h do dia 18 e as 2h do dia 19 de outubro de 2016, Anderson entrou no apartamento de Josué, na 307 Sul, e, após um desentendimento com a vítima, usou um cinto estrangulá-la. O corpo foi encontrado na residência do servidor por familiares, um dia após o assassinato. 
 
Anderson foi capurado no dia seguinte, dirigindo o veículo de Josué no Paranoá. À polícia, ele confessou o crime e disse ser garoto de programa. Segundo o suspeito, Josué o abordou, por volta das 23h da terça-feira, 18 de outubro de 2016, em um ponto de ônibus. Já na casa da vítima, após uma discussão sobre o valor do programa, Anderson teria cometido o crime, por volta das 2h do dia 19. O réu responde ao processo em prisão preventiva.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade