Publicidade

Correio Braziliense

Eixão Sul: brasilienses enfrentam congestionamento na volta para casa

O desmoronamento do viaduto da Galeria dos Estados impactou diversos vias de saída do Plano Piloto. Motorista prometem mudar a rotina para evitar engarrafamentos


postado em 06/02/2018 20:51 / atualizado em 06/02/2018 21:38

Por volta de 17h, o trânsito no Buraco do Tatu, sentido Épia Sul, estava congestionado(foto: Antônio Cunha/CB/D.A Press)
Por volta de 17h, o trânsito no Buraco do Tatu, sentido Épia Sul, estava congestionado (foto: Antônio Cunha/CB/D.A Press)

O impacto do desmoronamento do viaduto na Galeria dos Estados teve efeitos na volta para casa dos brasilienses. No Buraco do Tatu, próximo à Rodoviária do Plano Piloto, o fluxo de carros ainda era lento, até as 21h desta terça-feira (6/2). O ponto de acesso ao Eixo W, após a estação de metrô Galeria, também registrou trânsito pesado. 

Veículos do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) acompanham a movimentação na região. O órgão precisou desviar o tráfego para os Eixinhos Leste e Oeste, e a previsão é de que o trânsito fique interditado até o reparo completo da pista. Outra medida adotada para amenizar os impactos no cotidiano da população foi o aumento na quantidade de trens do Metrô-DF. O horário de pico do sistema metroviário foi estendido até as 20h30, em vez de 19h30. O número de locomotivas também aumentou, de 20 para 23.

Caminhos alternativos


O servidor Adalton Vitório, 29 anos, trabalha na Esplanada dos Ministérios e passa pelo Eixão Sul todos os dias. Nesta terça, na volta para casa, ele se deparou com um congestionamento que se formou próximo à Rodoviária do Plano Piloto. 

"Moro no Gama e agora vou precisar fazer caminhos alternativos, tanto para ir embora, quanto para chegar ao trabalho. Vou começar a ir pelo Sudoeste, mas ainda não sei como vai estar a situação", lamenta. Adalton entra no serviço à tarde e sentiu os impactos do desmoronamento do viaduto. "Hoje já foi muito complicado. Não imagino como será nos próximos dias", comenta.

"Hoje já foi muito complicado. Não imagino como será nos próximos dias", comenta o servidor Adalton Vitório (foto: Antônio Cunha/CB/D.A Press)


A comerciante Lilian Tavares de Almeida Santos, 40, precisou sair mais cedo para buscar a filha na escola, na 208 Sul. "Depois que soube desse desmoronamento, fiquei com medo de ficar presa no trânsito. Não sei como vai ser daqui pra frente. Os congestionamentos já eram frequentes e agora só vai piorar", afirma. 

Lilian mora no Jardim Botânico e trabalha no Setor de Diversões Sul. Ela relata que agora vai pegar um caminho alternativo para chegar ao trabalho. "Precisava passar pelo local que está interditado. Agora, vou pela Esplanada dos Ministérios, mas esse caminho também é bastante engarrafado. Espero que as obras de reparo não demorem para serem concluídas", comenta.

A comerciante Lilian Tavares de Almeida Santos, 40, precisou sair mais cedo para buscar a filha na escola, na quadra 208 Sul(foto: Walder Galvão/Esp. CB/D.A Press)
A comerciante Lilian Tavares de Almeida Santos, 40, precisou sair mais cedo para buscar a filha na escola, na quadra 208 Sul (foto: Walder Galvão/Esp. CB/D.A Press)


Interdições


O DER-DF informou que o Eixão ficará interditado no sentido norte-sul, desde a entrada do Buraco do Tatu até a altura do Hospital de Base. O departamento afirmou, em nota, que elabora um projeto de desvios que permita diminuir os impactos para os condutores que habitualmente passam pelo local. Não será possível passar por baixo da Rodoviária do Plano Piloto. Os demais trajetos permanecerão liberados até que a proposta dos desvios seja elaborada. “Vamos periciar e vistoriar. Por enquanto, ainda é precoce definir por quanto tempo a via ficará interditada”, diz o texto.
 
 

* Estagiários sob supervisão de Anderson Costolli

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade