Publicidade

Correio Braziliense

Carnaval terá 5,5 mil PMs nas ruas durante a folia, 42% a mais que em 2017

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o folião brasiliense poderá aproveitar a festa momesca com mais tranquilidade este ano. Apesar do efetivo, é preciso tomar alguns cuidados, principalmente com o furto de aparelhos celulares durante os blocos mais cheios


postado em 08/02/2018 18:45 / atualizado em 08/02/2018 19:55

(foto: Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Jhonatan Vieira/Esp. CB/D.A Press)
 
Os foliões de Brasília terão 5,5 mil policiais militares nas ruas do Distrito Federal durante os quatro dias de festa, em 2018. O número corresponde a 42% a mais que a quantidade de PMs que ficaram por conta da vigilância da folia no ano passado. A informação foi divulgada nesta quinta-feira pela Secretaria de Segurança Pública. 

O governo estima que os mais de 150 blocos cadastros levem 2 milhões de pessoas às ruas. A Secretaria de Mobilidade e o Transporte Urbano do DF (DFTrans) informam que haverá reforço das linhas de sábado a quarta-feira. A operação do carnaval será concentrada na Rodoviária do Plano Piloto e 150 ônibus a mais entrarão em operação para reforçar o sistema. Os usuários devem ficar atento aos horários e itinerários das linhas. O Metrô também vai funcionar todos os dias.

Serão cerca de mil policiais nas ruas, em média, a cada dia. Desses, 20% são militares que, em escala normal, trabalham em funções administrativas. Durante os festejos momescos, eles serão remanejados para o quadro operacional.

Os bombeiros atenderão normalmente, com equipe aumentada para cobrir os eventos do carnaval. A Polícia Civil atuará nos dias de carnaval com quatro delegacias no Plano Piloto e 13 nas demais regiões administrativas, em plantões de 24 horas.
 
Para quem vai levar a criançada para as ruas, é importante seguir uma série de cuidados. Para começar, crianças e adolescentes de até 16 anos de idade não podem ir desacompanhadas a festas. Para os acompanhados dos pais ou responsáveis, é importante estar sempre com documento de identificação oficial para fins de comprovação. 
 
Apesar do aumento no efetivo, é preciso tomar uma série de cuidados para não ser vítima de assalto. Os celulares são os maiores alvos de ladrões que costumam frequentar blocos mais cheios e aproveitam a distração do folião. Veja dicas para evitar ser surpreendido: 

Use uma doleira por baixo da fantasia


Doleiras são como pequenas pochetes finas e discretas, geralmente usadas para viajantes guardar somas em dinheiro fora da carteira — por isso, o nome. Para curtir a folia, basta vestí-la por baixo da fantasia e com os bolsos virados para a frente.

Aproveite e coloque seu dinheiro e documentos para não precisar se preocupar com carteira ou bolsas. Só tome cuidado na hora de tirar o celular para não deixar cair cédulas ou mesmo sua identidade.

É fácil encontrar uma doleira. Elas estão à venda maioria das lojas e quiosques de bolsas e mochilas. Os preços variam de R$ 10 a R$ 40, dependendo do tamanho e da qualidade do material.

Nunca coloque o celular no bolso traseiro


Guardar o aparelho nos bolsinhos de trás é dor de cabeça na certa. "Fica difícil perceber quando alguém furta", avisa a tenente Adriana Vilela, assessora de comunicação da Polícia Militar do Distrito Federal. 

Os ladrões avistam com facilidade um celular guardado nos bolsos traseiros. Afinal, geralmente menos fundos do que os frontais, dá para enxergar de longe o volume que denuncia o aparelho.

E atenção: os bolsos da frente também dão pouca segurança contra furtos. "O celular pode ficar parcialmente à mostra e, em uma distração, o ladrão consegue furtar discretamente", alerta a tenente.

Cuidado com bolsas e mochilas


Nem sempre dá para levar só celular e dinheiro. Às vezes, não dá para escapar de levar protetor solar, muda de roupa e até comida. Nesse caso, aponta a tenente Vilela, o melhor é não deixar os objetos de valor na bolsa ou nas mochilas. "O ladrão pode abrir o zíper e pegar o aparelho sem que ninguém note", comenta.

Se for o caso, coloque a mochila virada para frente. Pequenas bolsas devem ficar bem rentes ao corpo, com muito cuidado para não cair durante as festas. 

Leve um celular velho sobressalente


O folião que deixa o telefone em casa pode até ficar mais tranquilo por se livrar do risco de prejuízos. Porém, para marcar um ponto de encontro com amigos ou até —  Deus o livre! — chamar a emergência, levar o celular dá alguma margem de segurança durante os bloquinhos.

A solução? Procurar um aparelho antigo em casa apenas para levar à folia. "Pode ser um desses celulares que só servem para fazer chamadas", sugere a tenente Vilela.

Há até um apelido para esses dispositivos mais simples, típicos da primeira metade dos anos 2000: "burrofones". Os mais básicos podem custar menos de R$ 50. O preço de outros mais elaborados chega aos R$ 200. A desvantagem é não compartilhar com os amigos as fotos das melhores fantasias em tempo real.

Evite multidões


Imagine o pior cenário: você foi ao bloquinho direto do restaurante, do shopping ou mesmo do trabalho e não teve como prever um jeito mais seguro de guardar o celular. Só mesmo no bolso — e, para piorar, o traseiro.

Não precisa desistir do carnaval. Porém, a tenente Vilela, da PM, recomenda tomar o máximo de cuidado com multidões nesses casos. "Fique do lado de fora da aglomeração para não se tornar alvo, pois ladrões se aproveitam dos momentos de maior tumulto", recomenda a policial.

Se precisar atravessar a multidão, espere o bloco passar. Ou então, encontre um caminho alternativo e dê a volta.

Brinque, mas mantenha a atenção


Ninguém espera que o folião deixe de aproveitar só pelo medo de ter o celular roubado. Ainda assim, um pouco de atenção reduz a possibilidade de entrar na lista dos azarados do carnaval.

"O ladrão se aproveita de quem está mais desatento. Tome cuidado para não deixar o celular tão exposto", sugere a tenente Vilela. Assim, cheque sempre se o aparelho está visível. 

Tente também ser discreto ao sacá-lo para telefonar ou mandar alguma mensagem: um larápio pode estar à espreita e saber onde você o guardou.

Furtaram meu celular. E agora?


Se não deu para evitar o furto, procure o mais rápido possível uma delegacia de polícia. Apesar de muitos foliões relatarem que fazer o boletim de ocorrência não dá resultado, o registro aumenta a possibilidade de receber de volta o celular. "Sempre encontramos uma quantidade grande de aparelhos em abordagens feitas a suspeitos durante as festas", afirma a tenente Vilela.

Na delegacia, informe o número do IMEI do aparelho furtado. Trata-se de um código internacionalmente padronizado que funciona como se fosse o chassi de um carro. Para ver o seu, basta teclar *#06* que o número aparecerá automaticamente na tela, mesmo sem conexão com a internet. Uma vez registrado, aumentam as chances de recuperar o telefone ou de bloqueá-lo.

Além disso, vale procurar o policial militar mais próximo, principalmente se der para descrever as características do suspeito. "Mas isso precisa ser feito logo depois do furto. Se passar muito tempo, vai ser difícil identificar", alerta a policial. 
 
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
 

 
Transporte 

O Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) montou um esquema especial para os dias de folia em Brasília. Segundo o órgão, haverá o refoço de mais 150 ônibus para atender a demanda que aumenta com as festas. No sábado (10/2) e na segunda-feira (12/2), os coletivos seguirão a tabela habitual de sábado. Já no domingo (11/2) e na terça-feira de carnaval (13/2), seguirão o esquema de horários de domingo. Na Quarta-Feira de Cinzas (14/2), rodarão com a tabela horária normal do sistema.

A quantidade superior de veículos tem a intenção de suprir as eventuais demandas, segundo a Secretaria de Mobilidade. Além disso, evitar que haja problemas e riscos aos passageiros dos transportes públicos, serão realizadas ações para o carnaval em conjunto com as forças de segurança e os órgãos de trânsito.

 

Veja o que abre e o que fecha


Transporte público

Metrô
Todas as estações estarão abertas para embarque e desembarque. No sábado, na segunda-feira e na terça-feira, das 7h à 0h. No domingo, das 11h30 à 0h. Na quarta-feira, das 6h às 23h.

Ônibus
Haverá reforço das linhas de sábado a quarta-feira. Os usuários devem ficar atento aos horários e itinerários das linhas. Confira:

Saúde
Durante o Carnaval, só as emergências e UPAs vão funcionar. Ambulatórios e unidades básicas de saúde fecham durante o fim de semana e nos dias 12 e 13, retornando às atividades a partir das 14h de quarta-feira.

Segurança pública


Corpo de Bombeiros
Os bombeiros atenderão normalmente, com equipe aumentada para cobrir os eventos do carnaval.

Polícia Civil
No Plano Piloto, funcionarão 24 horas a 1ª DP (Asa Sul), a 5ª DP (Setor Central), a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam). Nas demais cidades, continuará o protocolo atual, com 13 delegacias funcionando 24 horas. A Delegacia Eletrônica, pela internet, e o telefone 197 também estarão 24h à disposição da população.

Serviços


Bancos
As agências bancárias estarão fechadas na segunda-feira e na terça-feira. Na Quarta-feira de Cinzas, os bancos abrirão ao meio-dia. Os tributos que possuem código de barras podem ter o seu pagamento agendado nos caixas eletrônicos, no internet banking e pelo atendimento telefônico do banco. Já os boletos bancários de clientes cadastrados como sacados eletrônicos poderão ser pagos via DDA (Débito Direto Autorizado). As contas de consumo (água, energia, telefone etc) e carnês que tiverem os dias 12 ou 13 como data de vencimento poderão ser pagas sem acréscimo na quarta-feira.

Caesb
A central de atendimento, no número 115, vai funcionar normalmente durante o feriado

CEB
A central de atendimento, no número 116, também vai funcionar sem interrupção durante o carnaval. As agências de atendimento presencial estarão fechadas na segunda e terça-feira, e voltam a abrir às 14h da quarta-feira.

Comércio
Pela primeira vez em 58 anos, as lojas de rua e dos shoppings estarão autorizados a funcionar no domingo de carnaval. No sábado, o comércio funcionará normalmente, fechará na segunda e terça-feira, e reabrirá na quarta-feira.

Hemocentro
A Fundação Hemocentro de Brasília abrirá normalmente no sábado, das 7h às 18h. Na segunda, porém, funcionará só até as 13h. Na terça, ficará fechada e na quarta-feira abre das 14h às 18h.

Na Hora
Os postos de atendimento fecham no sábado, na segunda e na terça-feira. Na Quarta-Feira de Cinzas, as unidades abrem depois das 14 horas.

Turismo e lazer


Água Mineral
Funciona todos os dias, das 8h às 17h (vale lembrar que o portão fecha às 16h, caso não exceda o limite de visitantes).

Catetinho
Fecha na segunda-feira, na terça-feira e na quarta-feira. Entrada gratuita.

Jardim Botânico
Fechado na segunda — como ocorre em todas as segundas-feiras, para manutenção. Abrirá no sábado, das 9h às 17h, e, no domingo, a partir das 14h. O ingresso custa R$ 5. Crianças com até 11 anos de idade e pessoas com deficiência ou acima de 60 anos não pagam para entrar.

Jardim Zoológico
Funciona todos os dias, das 8h30 às 17h. R$ 10 a entrada. Crianças de 6 a 12 anos, estudantes, idosos (acima de 60 anos), professores, beneficiários de programas sociais do governo pagam meia-entrada. O ingresso é gratuito para crianças de até cinco anos e pessoas com deficiência.

Memorial dos Povos Indígenas
Fecha na segunda-feira e na terça-feira. Funciona na quarta-feira, a partir de meio-dia. Entrada gratuita.

Museu Nacional
No sábado e no domingo, o Museu fica aberto das 9h às 16h. Na segunda, não abre. Já na terça, volta a funcionar das 9h às 16h. Na Quarta-Feira de Cinzas, fecha. Entrada gratuita.

Museu Vivo da Memória Candanga
Abre no sábado, das 9h às 17h. Fecha no domingo e na segunda-feira. Na terça-feira, fica aberto das 9h às 17h. Na quarta-feira, funciona somente após as 14h. Entrada gratuita.

Planetário de Brasília
Fechado de sábado a terça-feira. Na Quarta-Feira de Cinzas, reabre a partir das 14h. Entrada gratuita.

Torre de TV
Funciona normalmente das 9h às 19h, inclusive na segunda-feira, dia em que costuma ser fechada para manutenção. Na quarta, a visitação começa às 14h.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade