Publicidade

Correio Braziliense

Ano após ano, Brasília consolida sua tradição carnavalesca

Novos e tradicionais blocos aglomeram multidões para brincar nas ruas da capital federal


postado em 09/02/2018 06:00 / atualizado em 09/02/2018 09:10

(foto: Minervino Junior e Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior e Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Brasília começa a se enfeitar para o carnaval com novas cores, confetes, serpentinas e ritmos para todos os gostos. Os blocos se organizam para colocar a alegria na avenida, a fim de levar 2,5 milhões de foliões para a festa do Rei Momo, segundo a Secretaria de Cultura do DF. Agremiações como Eduardo e Mônica, Raparigueiros, Baratona, Galinho, Pacotão e Aparelhinho mostram que, a cada ano, a cultura carnavalesca se consolida na jovem capital brasileira.

Baratona e Raparigueiros, criados respectivamente em 1976 e 1992, fortalecem a cultura baiana, com o melhor da axé music em trios elétricos. Este ano, a festa se muda do Eixo Sul para o Eixo Monumental, em 11 e 13 de fevereiro.

Fundado em 2012, o Aparelhinho oferece uma folia recheada de música sbrasileira e africana, que entram nas playlists dos DJs. Tradicionais das segundas de carnaval, sai no dia 12, no SCS — que, em função da época, está sendo chamado de Setor Carnavalesco Sul. Ano passado, 20 mil pessoas compareceram à festa.

Viva o frevo

A ideia de montar o Galinho surgiu durante um almoço de família, em fevereiro de 1992. Romildo de Carvalho Junior, 62 anos, com os pais, irmãs e cunhados, decidiram fortalecer a cultura nordestina na capital federal. “Como não fomos para Recife naquele carnaval, a ideia foi trazer a festa de lá. Não arquitetamos com antecedência, apenas ligamos para pessoas conhecidas e fomos para a rua. Naquele dia, éramos 500 pessoas”, relembra.

O primeiro endereço da festa foi na 203 Sul, mas, com a chegada de novos foliões, o bloco foi realocado no Setor de Autarquias Sul. Os ritmos como o do frevo, da ciranda e do maracatu são o que marcam o Galinho, e, em 2017, reuniu 180 mil pessoas nos dois dias de festa.

Um dos fundadores do bloco Sérgio Brasiel, 57, explica que o foco não é o crescimento. “A nossa preocupação sempre foi em realizar algo de qualidade, por meio das manifestações culturais nordestinas. Por isso, enriquecemos a festa com bonecos gigantes, passistas e uma banda”, realça.

Neste 27º aniversário, os organizadores pretendem reunir, novamente, 180 mil pessoas. Mas o bloco preparou uma novidade para os brasilienses: a criação da folia infantil Pintinho de Brasília, que terá concentração no mesmo local do tradicional Galinho.

Política com humor

(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
Criado pelo Clube da Imprensa em 1978, o bloco Sociedade Armorial Patafísica Rusticana, mais conhecido como Pacotão, reuniu 60 mil brincantes na edição de 2017. O estilo que faz a diversão é a tradicional marchinha, e, anualmente, o grupo realiza um concurso. As escolhidas de 2018 foram a Presidente despirocado, de Maria Sabina e Assis Aderaldo; Sua hora vai chegar, dos irmãos Antonio e Jorge Sales; e Tem que manter isso aí, viu?, de Jorge Antunes. A interpretação fica por conta da Banda Podre do Pacotão.

O fundador e organizador do bloco, José Antônio Filho, mais conhecido como Joka Pavaroti, 67, alega que as letras têm o objetivo de conscientizar. “Somos um bloco de sátira política, formado por um grupo de carnavalescos que são apaixonados pela data festiva. As composições são exatamente sobre a política”, destaca.

Para 2018, Joka espera 12 mil foliões, em decorrência das possíveis mudanças climáticas. A concentração começa às 14h, nos dias 10 e 12, no Conic. Do local, o bloco segue pela avenida W3, sentido Norte/Sul. São, em média, cinco horas de festa e muita música nas ruas de Brasília.

Uma legião em festa

Idealizado em janeiro de 2017, e com desfile no mesmo ano, o bloco Eduardo e Mônica juntou 8 mil pessoas na quadra 6/8 do Setor de Indústrias Gráficas (SIG). A organização espera 14 mil foliões no domingo (11). A aposta do sucesso é um estilo carnavalesco diferente do usual, em que o samba e o rock se mesclam.

O idealizador e músico Rony Meolly, 33, explica que a ideia para o Eduardo e Mônica surgiu em uma conversa tranquila entre amigos, em um café. “Eu, Marcos Vital e Diogo Villar pensávamos no que fazer no carnaval. Então, sugeri de fazermos o bloco e, ali mesmo, decidimos o nome”, relata.

Bateria, guitarra, contrabaixo, violão, teclado, surdos, cuíca, cavaquinho, pandeiros e outros instrumentos de percussão entoam músicas de bandas como Legião Urbana, Capital Inicial, Paralamas do Sucesso, Plebe Rude e Natiruts. Só letras genuinamente brasilienses entram no repertório musical.

“O bloco é uma festa de carnaval, e, apesar de tocarmos rock, não queríamos chutar a porta da tradição, enaltecendo apenas o nosso estilo. A ideia sempre foi de proporcionar uma viagem pelos ritmos”, aponta Meolly.

Troféu #CBFolia2018   

Qual é o melhor de Brasília?
Em mais um ano, o Correio Braziliense premia os destaques da folia candanga com o Troféu #CBFolia2018. Na primeira edição, Galinho de Brasília, Baratona e Suvaco da Asa receberam o prêmio por terem sido os blocos mais votados pelos leitores, e o Babydoll de Nylon recebeu o troféu concedido por uma comissão julgadora do Correio. No segundo ano, a premiação foi para os blocos Babydoll de Nylon, Eduardo e Mônica e Raparigueiros, com menção honrosa a Divinas Tetas. O prêmio de 2018 contará com uma enquete popular e uma comissão julgadora para eleger os quatro melhores blocos do carnaval de Brasília. A votação on-line é de 10 a 14 de fevereiro pelo site www.correiobraziliense. com.br/carnaval2018. Participe e poste nas redes sociais utilizando a hashtag #CBFolia2018. Que vençam os mais animados! Patrocínio: Big Box.
 

Confira as datas

10/02
11h
Galinho Infantil - Pintinho de Brasília 
Setor de Autarquias Sul - quadra 4
14h
Bloco do Pacotão  
Concentração no Conic, com trajeto final na 302 Norte
15h30
Galinho de Brasília 
Setor de Autarquias Sul - quadra 4

11/2
13h
Baratinha
Parque da Cidade - Estacionamento 12
14h
Bloco do Pacotão  
Concentração no Conic, com trajeto final na 302 Norte
15h
Eduardo e Mônica
SIG, Quadra 6/8, em frente ao Bar Primeiro
Bloco Baratona e Raparigueiros
Eixo Monumental, em frente a Torre de TV

12/2
11h
Galinho Infantil - Pintinho de Brasília 
Setor de Autarquias Sul - quadra 4 
13h
Aparelhinho – Setor Carnavalesco Sul
Setor Comercial Sul - Praça dos Artistas
15h30
Galinho de Brasília 
Setor de Autarquias Sul - quadra 4

13/02
13h
Baratinha
Parque da Cidade - Estacionamento 12
14h
Bloco do Pacotão  
Concentração no Conic, com trajeto final na 302 Norte 
Bloco Baratona e Raparigueiros
Eixo Monumental, em frente a Torre de TV
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade