Publicidade

Correio Braziliense

Religiosos aproveitam carnaval para meditar, orar e exercer a fé

Nesta época de carnaval, religiosos se unem em eventos, como o Rebanhão, para orar e conhecer a palavra de Deus


postado em 10/02/2018 08:00 / atualizado em 09/02/2018 23:51

O período da festa de momo, para muitos brasilienses, é justamente o contrário da folia nos blocos e nos clubes. Para eles, os quatro dias do feriadão são a oportunidade para a meditação, a oração e o exercício da fé. Diferentes religiões aproveitam o carnaval para reunir fiéis em eventos, retiros e celebrações. Conheça um pouco do que fazem os católicos, evangélicos, umbandistas, espíritas, budistas e ecumênicos na capital nesta época de folia.


Com um público de até 15 mil pessoas, o Rebanhão mostra outra face do carnaval brasiliense (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press )
Com um público de até 15 mil pessoas, o Rebanhão mostra outra face do carnaval brasiliense (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press )

Rebanhão

Para os católicos, o Rebanhão é o maior evento de fé no carnaval. Recebendo algo entre 12 mil e 15 mil pessoas por dia (de acordo com a organização), a celebração começa amanhã e vai até terça-feira, a partir das 7h30, no Ginásio Nilson Nelson. Esta é a 32ª edição do Rebanhão, que tem entrada gratuita —  mas os organizadores aceitam doação de 1kg de alimento não perecível que será entregue ao Lar dos Idosos, da renovação carismática.

O Correio conversou com Keila Fabiane, uma das coordenadoras do evento. Ela afirmou que a celebração, sempre pautada pela alegria, compõe data especial para os católicos. “O Rebanhão antecede a quaresma, período de intensa fé. A intenção dessa celebração católica é dar o suporte espiritual para começar o tempo quaresmal, que antecede a data mais importante dos católicos, que é a Semana Santa”, explica.

O cronograma do evento é variado e não se resume às missas, como sustenta Keila: “Ao longo do dia há momentos de oração, de pregação da palavra, momentos de animação, que é a nossa marca. É um misto de experiência com Deus. As pessoas vêm ouvir a palavra, fazer oração, tem momentos de dança, a nossa marca é a alegria, isso que buscamos”.

Ainda de acordo com a coordenadora, não é segredo algum a razão que leva algumas pessoas ao Rebanhão e não aos tradicionais blocos de carnaval. “Eles vão (ao encontro católico) porque ali a gente vive uma experiência que vai além da Quarta-Feira de Cinzas, que nos impulsiona a uma caminhada nova. As pessoas chegam à conclusão de que as alegrias do mundo são importantes, mas passageiras. Você vive e passa, mas a experiência de fé agrega valores que perduram”, afirma.


Evento promovido pela Sara Nossa Terra também teve expressão em outros anos. Em 2018, Conferência de carnaval acontece a partir de hoje (foto: Janine Moraes/CB/D.A Press )
Evento promovido pela Sara Nossa Terra também teve expressão em outros anos. Em 2018, Conferência de carnaval acontece a partir de hoje (foto: Janine Moraes/CB/D.A Press )

Conferência de Carnaval

Para os evangélicos, uma das celebrações de maior destaque é a Conferência de Carnaval, promovida pela igreja Sara Nossa Terra. O evento é hoje, segunda e terça, no Arena Hall, em Vicente Pires, durante todo o dia. A conferência existe há 15 anos e, este ano, espera receber cerca de 15 mil pessoas. O Correio conversou com Lucas Cunha, bispo da Sara Nossa Terra, que explicou o que atrai as pessoas às atividades da igreja e não às festas do carnaval.

“O objetivo do evento é levar os jovens a enxergar um sentido maior da vida, que não é só trabalho, que não é apenas festas. Nós acreditamos no chamado, no propósito, na missão. Nós acreditamos que temos um propósito maior na vida, cumprir nosso propósito em Deus”, sustenta Cunha. Com o tema “Eu nasci pra isso”, o evento contará com apresentações de artistas gospel, exibição de filmes, pregações e ministrações.

Templo ecumênico

Para aqueles que não seguem uma religião específica, mas querem curtir uma opção de fé durante o carnaval, o Templo da Boa Vontade, na 915 Sul, está com atividades especiais — que contam com oficinas, momento de preces, visitas fraternas a lares, hospitais e casas de repouso, além de aproveitar  o espaço da LBV. A programação para o feriado começa hoje e vai até terça.

A ideia do templo é propor um feriado com muita tranquilidade e calma. Segundo Paulo Medeiros, um dos responsáveis por organizar as atividades do carnaval no templo, nesta época do ano existem pessoas que buscam uma opção longe do agito da folia: “Escolher nossa visitação é uma opção de vida da pessoa, escolher uma coisa mais espiritual envolve também segurança. Assim, é uma opção de calma, de meditação, de integrar com a família. Temos movimentações interessantes nesse tempo, temos um aumento de mais de 50% de visitantes no carnaval. É interessante porque também recebemos muitos turistas”.

Concafras

Diferentemente dos católicos, o carnaval não significa uma celebração para os espíritas. Segundo a assessoria de imprensa da Comunhão Espírita de Brasília, “não existem modificações nas atividades no carnaval, continua tudo funcionando normalmente”. Entretanto, alguns centros aproveitam o feriado para promover ações gerais, como é o caso do Centro Espírita Irmão Áureo, que está realizando uma colônia de férias para jovens em situação de risco.

Além das atividades individuais de cada centro, os espíritas também realizam o Concrafas. O evento nacional — que neste ano acontece em Uberlândia (MG) — é uma forma de aproveitar o feriado do carnaval para realizar um encontro espírita que aprofunde os ensinamentos da religião.

Umbandistas e budistas

Mais próximos da relação dos espíritas com o carnaval, os umbandistas e budistas também não têm uma obrigatoriedade de celebração neste feriado. Contudo, cada centro, ou templo, tem a liberdade para realizar atividades que convenham durante a data. À reportagem, o Centro de Umbanda Cavaleiros do Ogum informou que não haverá atividades extras por conta de “questões energéticas, ou fluxo de energia”, que faz parte da religião de matriz africana.

O Correio também entrou em contato com o templo budista Shin Budismo Terra Pura, um dos maiores da capital, que, por meio de comunicado, destacou que este ano o templo ficará fechado para atividades durante o carnaval.

* Estagiário sob supervisão de José Carlos Vieira

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade